Após medalhas no Mundial de Barcelona, nadador brasileiro pode insistir para Olimpíadas de 2016 em prova que chegou a rejeitar este ano

Thiago Pereira durante entrevista coletiva no Sesi
Marcelo Laguna/iG
Thiago Pereira durante entrevista coletiva no Sesi

Thiago Pereira foi para Barcelona, onde disputou o Mundial de esportes aquáticos na semana passada, com uma certeza: passaria longe dos 400 m medley, prova que foi sua marca registrada ao longo de toda a carreira - e na qual conquistou a tão sonhada medalha de prata olímpica em Londres 2012. O enorme desgaste que ela exige, além dos vários problemas enfrentados em sua preparação para este Mundial, lhe davam a certeza de que deveria se concentrar apenas nos 200m medley. Mas as medalhas de bronze obtidas no Mundial espanhol nas duas provas mudaram suas convicções. Por isso, ele deverá insistir mais um pouco nos 400m.

Comente esta notícia com outros leitores

"No pódio dos 400m, estava falando com os outros nadadores [o americano Chase Kalisz, que foi prata, e o japonês Daiya Seto, que levou o ouro] que seria mais fácil ter nadado os 1.500m, que estava acontecendo no momento da premiação. Os 400m medley são terríveis", explicou Thiago, que tinha mais um motivo para ter rejeitado a prova que o consagrou no ano passado: uma insistente lesão no quadril, revelada apenas quando ele estava na Espanha.

"Não quis falar antes para ninguém achar que seria desculpa em caso de algum mal resultado. Mas a verdade é que tomei infiltração no quadril e muito antiinflamatório para poder competir sem dor no Mundial", revelou Thiago, em coletiva realizada no Sesi, seu clube, nesta terça-feira.

O técnico Alberto Silva, o Albertinho, brinca e nega que tenha sido ele o responsável por ter feito Thiago Pereira mudar de ideia e ter nadado os 400m medley no Mundial. "Já sabia que ele tinha demonstrado essa intenção de não nadar mais esta prova depois de Londres, mas fiquei na minha. Ele fez o índice este ano, mas voltou a dizer que não iria nadar. Fui deixando e lá em Barcelona iria voltar a tocar no assunto. Mas foi ele mesmo que falou em nadar essa prova, ainda no aquecimento dos 200 medley" , disse Albertinho.

Thiago Pereira com o bronze nos 400m medley no Mundial
Getty Images
Thiago Pereira com o bronze nos 400m medley no Mundial

Ano complicado
Além da rejeição aos 400m medley, a preparação para o Mundial foi bastante prejudicada pelo fato do nadador passar os primeiros meses do ano sem saber por qual clube iria treinar, após o Corinthians ter cortado o contrato de patrocínio.

"Foi um ano bem diferente, nunca havia passado por isso em começo de ciclo olímpico, mas no final acabei fazendo uma prova excelente e quase ganhei a medalha de prata", afirmou o nadador brasileiro, que ainda não conseguiu se recuperar totalmente da lesão no quadril. "Ainda não tive tempo para fazer um trabalho de fisioterapia ideal", explicou.

Embora diga com convicção que seu foco a partir de agora será treinar os 200m medley, Thiago Pereira não deve ser tão radical na preparação para 2016 e continuar olhando com carinho para os 400m medley.

"Esta prova está na minha história, faz parte da minha vida", disse o nadador, que aos 27 anos acredita viver a melhor fase de sua carreira. "Eu costumo brincar com os treinadores que estou me sentindo como se estivesse com 15 anos. E como consegui um resultado inédito neste Mundial, com estas medalhas que eu esperava há tanto tempo, por que não sonhar com o ouro em 2016?", pergunta o nadador.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.