Campeão em piscina curta, Nicholas Santos estabelece tempo para Mundial

Por Aretha Martins - iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Brasileiro vai disputar os 50m borboleta no torneio em Barcelona. Aos 33 anos, não se sente pressionado com o favoritismo após título e fala em novo pódio

Satiro Sodré/Divulgação CBDA
Nicholas Santos exibe ouro no Mundial de piscina curta em Istambul, em dezembro de 2012

Nicholas Santos faz parte da delegação do Brasil que está em Barcelona para o Mundial de esportes aquáticos. Por lá, ele vai disputar os 50m borboleta e é apontado com um dos favoritos, ainda mais depois de ter faturado o título mundial em piscina curta na prova. Ele foge da pressão, mas sabe qual tempo quer marcar na piscina espanhola. 

Deixe seu recado e comente com outros leitores

"Eu não ligo muito para a cobrança dos outros porque a cobrança pessoal já é grande. Quero nadar para 22s7. Já fiz 23s28 em uma prova neste mês e acho que quando chegar à Barcelona, depois de fazer o polimento e me raspar, dá para baixar", disse Nicholas Santos em uma coletiva em São Paulo no final da semana.

Leia também: 'Tirei mini-férias merecidas dos 400 m medley', diz Thiago Pereira

Ele ainda falou com excluvidade ao iG sobre rivais no Mundial e o que significa chegar ao torneio em pisicna longa como o campeão mundial nos 25 metros. Veja no vídeo abaixo: 


O Campeonato Mundial começa neste final de semana, mas as provas de natação acontecerão a partir do dia 28 de julho. E os 50m borboleta de Nicholas Santos serão logo no começo. "Acho melhor do que ficar ali vendo todo mundo. Prefiro nadar no começo ou no meio da competição e ficar torcendo pelos outros depois", afirma. 

"Sou focado, mas não bitolado"

Nicholas fala ainda que vive um ótimo momento aos 33 anos de idade. "Eu acho que venho melhorando a cada ano. Estou me cuidando mais. A coisa foi fluindo e não penso muito em idade. Mas hoje tenho mais cuidado na minha preparação, penso mais na alimentação, no descanso. Tenho que tomar cuidado com recuperação depois da prova e quando se é mais novo, não dá tanta importância, acaba dormindo tarde", conta o nadador. Entretanto, ele afirma que sabe também aproveitar a vida. "Sou focado, mas não bitolado", completa. 

E ainda: Mais leve após prata olímpica, Thiago Pereira busca pódio que falta no Mundial

Para ele, a evolução do esporte permite que os atletas fiquem mais tempo no alto nível. "A natação mudou muito, principalmente nos treinos e na parte física. Hoje eu faço parte muscular e nado uns 6,5 mil metros por dia e isso era o dobro na época do Gustavo Borges. Isso hoje dá uma longevidade na natação", explica. 

Agora, com a maturidade de quem passou dos 30, ele está confiante para o Mundial. "Da minha parte, vou buscar essa medalha, independente dos adversários que estiverem lá. Vou com vontade de ganhar o ouro", garante. 


compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas