Publicidade
Publicidade - Super banner
Mais Esportes
enhanced by Google
 

Judoca Daniel Hernandes volta a competir após cirurgia

Atleta teve que corrigir rompimento de tendão, mas agora diz que já não sente problemas no local da operação

Gazeta Esportiva |

Cinco meses depois de passar por cirurgia no ombro esquerdo para corrigir rompimento de tendão, o judoca Daniel Hernandes volta a competir. O retorno será neste sábado, no Campeonato Beneméritos, no Clube Juventus, em São Paulo, a partir das 13 horas. No torneio, por equipes, Daniel vai defender o Pinheiros. "Vou participar para ganhar ritmo. Eu e meu técnico (Mauro Oliveira) achamos que seria bom para quebrar o gelo", comentou.

O judoca passou esta semana no Rio de Janeiro, participando de um treinamento apenas para pesos pesados (+100kg), sob a supervisão de Luiz Shinohara, técnico da seleção brasileira. "Foi bem interessante", avalia Daniel. "É muito diferente treinar só com pesados. Até o lugar do quimono que você tem de pegar muda quando se treina com alguém de uma categoria mais leve. E os clubes, normalmente, não têm tantos pesados assim", prossegue. "Foram trocas de experiências, identificando as dificuldades que cada um enfrenta para poder corrigi-las e facilitar a obtenção de bons resultados"

Daniel afirma que não sentiu nenhum problema no ombro operado. "Cheguei a me surpreender, porque comecei a treinar mais duro há umas três semanas e lá no Rio, só entre pesados, vi que estou mais forte do que esperava. Estou muito contente", afirmou o judoca, que no dia a dia segue com o trabalho de fisioterapia e fortalecimento do ombro.

No dia 29, Daniel Hernandes viaja para a Ásia, onde vai retomar a luta por pontos no ranking que vai definir os judocas para os Jogos de Londres, em 2012. "No início de dezembro (dias 3 e 4)tem a etapa da Copa do Mundo na Coreia, em Suwon. De 11 a 13, o Grand Slam de Tóquio e, logo em seguida, o Grand Prix da China (dias 17 e 18), em Qingdao", enumera.

"Mesmo depois de todo esse tempo parado, estou em 16º lugar no ranking mundial, entre os 22 judocas que vão à Olimpíada, e sou o brasileiro mais bem ranqueado da minha categoria", analisou o judoca. "Vida de atleta é assim mesmo: cai e levanta a toda hora. Eu não desisto, não. Meu sonho olímpico continua de pé e vou fazer de tudo para torná-lo realidade", destacou.

Leia tudo sobre: outros esportes - judô

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG