Atleta teve que corrigir rompimento de tendão, mas agora diz que já não sente problemas no local da operação

Cinco meses depois de passar por cirurgia no ombro esquerdo para corrigir rompimento de tendão, o judoca Daniel Hernandes volta a competir. O retorno será neste sábado, no Campeonato Beneméritos, no Clube Juventus, em São Paulo, a partir das 13 horas. No torneio, por equipes, Daniel vai defender o Pinheiros. "Vou participar para ganhar ritmo. Eu e meu técnico (Mauro Oliveira) achamos que seria bom para quebrar o gelo", comentou.

O judoca passou esta semana no Rio de Janeiro, participando de um treinamento apenas para pesos pesados (+100kg), sob a supervisão de Luiz Shinohara, técnico da seleção brasileira. "Foi bem interessante", avalia Daniel. "É muito diferente treinar só com pesados. Até o lugar do quimono que você tem de pegar muda quando se treina com alguém de uma categoria mais leve. E os clubes, normalmente, não têm tantos pesados assim", prossegue. "Foram trocas de experiências, identificando as dificuldades que cada um enfrenta para poder corrigi-las e facilitar a obtenção de bons resultados"

Daniel afirma que não sentiu nenhum problema no ombro operado. "Cheguei a me surpreender, porque comecei a treinar mais duro há umas três semanas e lá no Rio, só entre pesados, vi que estou mais forte do que esperava. Estou muito contente", afirmou o judoca, que no dia a dia segue com o trabalho de fisioterapia e fortalecimento do ombro.

No dia 29, Daniel Hernandes viaja para a Ásia, onde vai retomar a luta por pontos no ranking que vai definir os judocas para os Jogos de Londres, em 2012. "No início de dezembro (dias 3 e 4)tem a etapa da Copa do Mundo na Coreia, em Suwon. De 11 a 13, o Grand Slam de Tóquio e, logo em seguida, o Grand Prix da China (dias 17 e 18), em Qingdao", enumera.

"Mesmo depois de todo esse tempo parado, estou em 16º lugar no ranking mundial, entre os 22 judocas que vão à Olimpíada, e sou o brasileiro mais bem ranqueado da minha categoria", analisou o judoca. "Vida de atleta é assim mesmo: cai e levanta a toda hora. Eu não desisto, não. Meu sonho olímpico continua de pé e vou fazer de tudo para torná-lo realidade", destacou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.