Publicidade
Publicidade - Super banner
Mais Esportes
enhanced by Google
 

Leandro Cunha e Sarah Menezes estão na semi do Mundial de judô

Leandro chega â semifinal como favorito, enquanto Sarah terá a dura tarefa de bater a atual campeã mundial

Carlos Bortole, especial para o iG, em Paris |

Divulgação/Fotocom.net
Leandro Cunha (branco) começou bem a disputa no Mundial em Paris
O Brasil começou com força total o Campeonato Mundial de judô, em Paris. Na categoria meio-leve, o paulista e atual vice-campeão do mundo, Leandro Cunha lutou com maestria e venceu o armênio Armen Nazarian em sua estréia, o norte-americano Kenneth Hashimoto na segunda fase, o sul-coreano Jeong-Hwan nas oitavas de final e a zebra inglesa Colin Oates, nas quartas de final.

Leandro chega como favorito à semifinal da categoria meio-leve diante do eslovaco Rok Draksic.

Quem também deu show foi Sarah Menezes. A judoca do Piauí chegou na semifinal da categoria ligeiro batendo as rivais Olha Suka, da Espanha, Seung-Min Shin, da Coréia do Sul, e Eva Csernoviczki da Hungria. Agora, Sarah encara a atual campeã mundial e líder do ranking, Haruna Asami, do Japão.

Já o peso ligeiro Felipe Kitadai, após vencer seus dois primeiros combates contra o checo Pavel Petrikov e o canadense Will Fraser, sucumbiu diante do favoritismo do uzbeque Rishod Sobirov, líder do ranking e atual campeão mundial e deu adeus à disputa.

Fotocom
Sarah Menezes em ação em Paris nesta terça-feira

 Veja como foi o desempenho dos brasileiros luta a luta no Mundial

Sarah Menezes
Luta 1
– Diante da espanhola Sarah Sukha, Sarah começou o combate melhor. Logo aos 20 segundos conseguiu um yuko (pontuação intermediária). Mas logo depois, aos 40 segundos, a judoca da Espanha igualou o placar. Após duas pontuações no primeiro minuto do combate, as atletas adotaram uma postura mais cautelosa. Faltando 1 segundo para o fim da luta e quando todos já esperavam o golden score, Sarah conseguiu um wazari que a credenciou para as oitavas de final da competição.

Luta 2 - Nas oitavas de final, a adversária foi a sul-coreana Seung-Min Shin. Já sem a pressão da estréia, Sarah Menezes começou a desenvolver suas técnicas com mais objetividade. Aos 2’52 a judoca da Coréia do Sul foi advertida com um shido (punição intermediária). Logo em seguida, aos 2’42, a brasileira projetou a rival por ippon de tani-otoshi.

Luta 3 – Valendo vaga nas semifinais, Sarah teve pela frente a húngara Eva Csernoviczki, vice-campeã do Grand Slam de Paris e do Master de Baku, ambos em 2011. Não deu nem tempo de respirar. Logo aos 17’’, a brasileira encaixou um ashi-harai (golpe de perna) perfeita, projetando judoca européia por ippon, chegando assim à semifinal de sua categoria.

Leandro Cunha
Luta 1
– O avant-premiere de Leandro Cunha foi frente ao experiente armênio Armen Nazarian, Judoca do Leste Europeu e de muita força física. Aos 47’, Leandro conseguiu um yuko (pontuação intermediária). Mesmo em vantagem, Leandro tinha dificuldades para concretizar suas principais técnicas. Faltando 2’30, o armênio foi penalizado com shido (punição intermediária). Com uma boa vantagem no placar, Leandro administrou o restante da luta.

Luta 2 – Pela segunda fase da competição, Leandro Cunha encarou mais um adversário da antiga União Soviética; o georgiano Shalva Kardasha. A 1’34, Kardasha foi punido com um shido (penalidade intermedária). Confiante, Leandro conduzia bem o combate e aos 2’35 conseguiu um belo ippon que lhe garantiu vaga nas oitavas de final.

Luta 3 – O terceiro confronto realizado por Leandro Cunha foi, por enquanto, o mais difícil em sua trajetória neste Mundial. O rival sul-coreano Jeong-Hwan An mostrava-se bastante perigoso, com uma boa movimentação e golpes bem colocados. O judoca asiático começou melhor o combate, mas já no segundo minuto, Leandro equilibrou as ações.Em uma luta aberta, as chances se sucederam de lado a lado, mas sem pontuação que desse a vitória a um deles. Fim de combate e o início do golden score. Logo aos 37’’, Leandro encaixou um bom seoi-nague anotando um yuko no placar e avançando para as quartas de final.

Luta 4 – Do outro lado do tatame estava o inglês Colin Oates, uma das zebras da competição. Soberano, o brasileiro não deu espaço para surpresas. Logo a 1’14, encaixou um uchi-mata (golpe de pernas) perfeito que redundou num espetacular ippon.

Felipe Kitadai
Luta 1
- O jovem peso ligeiro Felipe Kitadai realizou sua estréia em Campeonatos Mundiais com uma ótima atuação contra o checo Pavel Petrikov. A 1’15 Kitadai conseguiu um yuko com um kouchi-gari (golpe de perna). Bem postado, o brasileiro comandava as ações da luta, mostrando um jogo de pernas bastante rápido e perigoso. Aos 3’22 anotou um wazari (pontuação quase perfeita), aplicando um harai-goshi (golpe de quadril). Faltando 1’06, Kitadai finalizou a luta com um ippon de seoi-nague.

Luta 2 – Sua segunda luta contra o canadense Will Fraser foi bastante truncada. De baixa estatura, Fraser dificultava a aproximação e os golpes de Kitadai. Aos 3’57, o representante do Canadá foi punido com shido (punição intermediária) por falta de combatividade. Em desvantagem, Fraser partiu para o ataque e abriu a guarda. Faltando 46’, Kitadai conseguiu o ippon com um perfeito ouchi-gari.

Luta 3 – Eleito melhor judoca do mundo na temporada de 2011, o uzbeque Rishod Sobirov foi o adversário seguinte de Felipe Kitadai. Campeão mundial em 2010, Sobirov não deu chances ao brasileiro, encaixando, logo a 1’23, um juji-gatame (chave de braço) e conquistando o ippon.

Leia tudo sobre: mundial de judôsarah menezesleandro cunha

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG