Os japoneses terminaram na primeira colocação do torneio com 6 medalhas de ouro. Brasil ficou em oitavo

Teddy Rinner é o grande judoca de campeonatos mundiais
AFP
Teddy Rinner é o grande judoca de campeonatos mundiais
O Japão voltou a confirmar sua hegemonia em Campeonatos Mundiais de Judô ao encerrar sua participação nesta edição de Paris com um saldo expressivo de 15 medalhas conquistadas nas 14 categorias em disputa. Foram impressionantes 5 medalhas de ouro, 6 de prata e 3 de bronze no quadro geral do torneio. A anfitriã França, terminou na segunda posição com 4 medalhas de ouro e 1 de prata.

A China apareceu em seguida com 1 de ouro e 1 de prata. Com 2 medalhas de prata e 3 de bronze, o Brasil ficou na oitava colocação. Depois do Japão, França e Brasil foram os países que mais vezes subiram ao pódio. No último dia de combates, os franceses comemoraram o inédito pentacampeonato mundial do pesado Teddy Rinner , agora recordista em títulos na história do judô internacional. A Rússia levou o ouro na categoria meio-pesado com Tagir Khaybulaev. Entre as mulheres, a chinesa Wen Tong confirmou sua supremacia no peso pesado e tornou-se pentacampeã do mundo.

Diferentemente dos dias anteriores, quando o Brasil conquistou medalhas, neste sábado os meio-pesados e pesados brasileiros tiveram atuações abaixo da média e foram eliminados logos nas primeiras rodadas. Mesmo com o tropeço no último dia da competição individual o coordenador técnico da Confederação Brasileira de Judô, Ney Wilson Pereira, avaliou positivamente a participação nacional.

“Esperávamos, sim, o ouro, mas considero a participação do Brasil muito boa, com o maior número de medalhas conquistadas na história e a melhor participação feminina de todos os tempos. Temos potencial de ouro olímpico e vamos trabalhar, nos próximos dez meses, para que isso aconteça em Londres 2012”, completou.

Destaques
Paris consolidou o domínio de alguns lutadores que certamente chegarão às Olimpíadas de 2012 com chances reais de consagração. No masculino, os atletas que foram campeões mundiais e serão aqueles a serem batidos nos Jogos Olímpicos do próximo ano são o uzbeque bicampeão mundial, Rishod Sobirov (ligeiro), o coreano bicampeão mundial, Jae-Bum Lee (meio-médio), o grego bicampeão mundial e campeão olímpico em Atenas, Ilias Iliadis (médio), e o francês pentacampeão mundial, Teddy Riner.

No feminino, as atenções maiores estarão sobre a japonesa bicampeã mundial Asami Haruna (ligeiro), a francesa bicampeã mundial e vice-olímpica, Lucie Decosse (médio,) e a chinesa pentacampeã mundial e campeã olímpica em Pequim, Wen Tong.

Contagem Geral

1) Japão – 5 ouros, 6 pratas e 4 bronzes
2) França – 4 ouros e 1 prata
3) China – 1 ouro e 1 prata
4) Rússia – 1 ouro e 3 bronzes
5) Coréia do Sul – 1 ouro e 2 bronzes
6) Uzbequistão – 1 ouro e 1 bronze
7) Grécia – 1 ouro
8) Brasil – 2 pratas e 3 bronzes
9) Holanda – 2 pratas e 1 bronze
10) Alemanha – 1 prata

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.