Atletas de todas categorias conseguiram ficar dentro dos índices exigidos após o Grand Slam do RJ

selo

Se os Jogos Olímpicos de Londres fossem hoje, o Brasil mandaria uma delegação completa no judô. Isso porque o ranking mundial, divulgado nesta quarta-feira pela Federação Internacional de Judô (IJF) mostra atletas do País dentro dos índices exigidos em todas as categorias, tanto no masculino quanto no feminino.

O bom desempenho do Brasil no Grand Slam do Rio de Janeiro (torneio que só dá menos pontos que o Campeonato Mundial e a própria Olimpíada), no final de semana passado, alavancou diversos atletas no ranking. Destaque para João Gabriel Schlittler, que subiu da 101.ª para a 25.ª posição entre os pesos pesados.

Apesar do bom ranking, João Gabriel tem poucas chances de estar nas Olimpíadas. Isso porque ele é apenas o terceiro melhor brasileiro na sua categoria e só um vai a Londres. Daniel Hernandes é o 11.º e Rafael Silva o 14.º. No masculino, se classificam os 22 melhores por peso, desde que um por país. No feminino, as 14 melhores.

O melhor brasileiro no ranking mundial segue sendo Leandro Guilheiro, que é o segundo na categoria até 81 kg. Além dele, outros sete estão entre os dez melhores nos seus pesos: Leandro Cunha (66 kg, em sétimo), Tiago Camilo (90 kg, em sétimo), Hugo Pessanha (90 kg, em nono), Sarah Menezes (48 kg, em quarto), Erika Miranda (52 kg, em quinto), Rafaela Silva (57 kg, em nono) e Mayra Aguiar (78 kg, em quinto).

Flávio Canto (13.º), Hugo Pessanha (nono) e Leonardo Leite (19.º) estão entre os 22 melhores de suas categorias, mas não iriam a Londres porque outros brasileiros têm ranking ainda melhor.

O desempenho do Brasil no ranking mundial tende a melhorar na próxima atualização do ranking, já que a próxima etapa do Circuito Mundial é a Copa do Mundo de São Paulo, neste final de semana.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.