Publicidade
Publicidade - Super banner
Mais Esportes
enhanced by Google
 

Homenageado, Éder Jofre cobra investimentos no boxe e outros esportes

¿Aqui no Brasil é futebol de manhã, futebol na hora do almoço, futebol na janta, futebol no lanche, é futebol toda hora¿, reclamou o ex-campeão mundial

Levi Guimarães, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237860543803&_c_=MiGComponente_C

Maior boxeador da história do Brasil, Éder Jofre foi homenageado na noite desta quinta-feira pelo São Paulo, clube que defendeu como atleta e do qual é torcedor. A festa foi em referência aos 50 anos da conquista do primeiro título mundial do lutador, no dia 18 de novembro de 1960, quando ele conquistou o cinturão dos pesos Galo em luta contra Eloy Sanchez, do México, realizada em Los Angeles.

Jofre recebeu do vice-presidente de marketing do clube, Júlio Casares, um quadro estilizado nas cores do São Paulo, em referência ao feito de cinco décadas atrás, e um par de luvas autografadas por todos os jogadores do atual elenco e membros da comissão técnica do time. Mas justamente o futebol recebeu cutucadas do ex-campeão mundial.

Falta apoio [para o boxe], sempre faltou. Aqui no Brasil é futebol de manhã, futebol na hora do almoço, futebol na janta, futebol no lanche, é futebol toda hora. Eles representam bem o Brasil, mas e os outros esportes? É preciso dar condições para os outros esportes chegarem onde o futebol chegou, afirmou Jofre.

O ex-lutador fez questão de ressaltar seu apreço pelo esporte mais popular do país, mas continuou cobrando espaço para outras modalidades. O futebol é maravilhoso, eu adoro torcer. Mas não é só futebol, temos judô, karatê, tae-kwon-do, luta livre, boxe, natação, remo, basquete. E precisamos dar valor a todos esses esportes.

Gazeta Press
Jofre recebe quadro comemorativo dos 50 anos de seu título
Jofre recebe quadro comemorativo dos 50 anos de seu título


No caso específico do boxe, Éder Jofre apontou como principal motivo para a falta de novos atletas de ponta o fato de que todos precisam começar no esporte como amadores. Por isso, os lutadores em início de carreira precisam acumular empregos normais durante o dia e só podem treinar à noite, o que não lhes permite adquirir o preparo físico e técnico ideal.

A pedido do iG Esporte, Éder Jofre disse o que pediria ao Ministério do Esporte, ao Comitê Olímpico Brasileiro e a possíveis empresas patrocinadoras com o objetivo de ver uma evolução no esporte.

A todos esses, eu peço de coração: lembrem quando eu fui campeão, por favor. Nós temos condições de ter outros campeões do mundo. Dêem oportunidades para quem se destaca, que o técnico deles vai poder falar: esse aqui pode ser campeão. Dêem oportunidades pelo menos para eles se alimentarem bem, para poderem ser bons lutadores de boxe.

No futebol, nada de entregar
Apesar das críticas ao excesso de atenção dada ao futebol no Brasil, Éder Jofre também é um amante da modalidade e, especialmente do São Paulo. Ele aproveitou a homenagem recebida do clube para repudiar qualquer possibilidade de ver seu time entregar o jogo para o Fluminense na tentativa de prejudicar o rival Corinthians.

Entregar? Se o São Paulo entregasse algum jogo eu não seria mais são-paulino, afirmou sem titubear o ex-campeão do alto de seus 74 anos.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG