Campeão francês de handebol é investigado por supostas apostas ilegais

Oito jogadores do Montpellier teriam recebido um montante de 200 mil euros para perder para o Cesson-Sévigné

iG São Paulo * |

A justiça francesa abriu investigação sobre o suposto envolvimento de oito jogadores da equipe de handebol do Montpellier, que teriam aceitado dinheiro para perder uma partida do Campeonato Francês. Os atletas teriam recebido 200 mil euros, cerca de R$ 522 mil, por uma derrota contra o Cesson-Sévigné, realizada no dia 12 de maio deste ano, quando o Montpellier já havia vencido a competição nacional.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

AP
Nicolas Karabatic é um dos envolvidos no escândalo de manipulação de resultados no handebol francês

O dinheiro teria vindo de apostadores, que se beneficiariam com o resultado. As informações foram tornadas públicas pela emissora de televisão "France 3". Para os próximos dias, estariam programadas diversas prisões por envolvimento no caso.

Além de jogadores, diretores do Montpellier também estariam envolvidos. As suspeitas sobre o resultado do jogo começaram com a empresa pública de loterias francesa, que informou a polícia que detectou antes do jogo um aumento de quatro a cinco vezes do número de apostas habitual para um jogo daquele tipo.

Leia mais:  Técnico da seleção feminina de handebol é eleito o segundo melhor do mundo

De acordo com a "France 3", a Polícia Judiciária de Montpellier descobriu que as esposas de jogadores e outros representantes do clube campeão de nove dos últimos 10 Campeonatos Franceses, apostaram contra o clube em três pontos distintos do país. Segundo a imprensa, dois dos apostadores foram Luka Karabatic, jogador da equipe, e sua esposa Jeny Priez, apresentadora de televisão. Luka é irmão de Nicolas Karabatic, principal jogador do time francês. Nenhum dos dois disputou aquela partida. A emissora de televisão apontou que tanto o presidente do clube Rémy Lévy, como o treinador, Patrice Canayer, já foram interrogados pela Polícia.

"Vou a defender a honra do clube. Os jogadores citados têm direito à presunção de inocência, é preciso esperar os resultados da investigação", afirmou Lévy, negando qualquer envolvimento de pessoas ligadas ao clube com o caso.

A ministra dos Esportes da França, Valérie Fourneyron, agradeceu em comunicado a colaboração da loteria pública francesa. "Nenhum país, assim como nenhum esporte, está a salvo dos riscos de fraude. A França está mobilizada para lutar contra esta ameaça", afirmou a ministra.

Os interrogatórios devem seguir nos próximos dias, quando o Montpellier voltar da Alemanha, onde disputa jogo da Liga dos Campeões da Europa. Pelas leis francesas, a combinação de resultados pode ser punida com até três anos de prisão e 15 mil euros de multa. A participação em apostas com até 25 mil euros e seis jogos de suspensão. 

*Com EFE

Leia tudo sobre: montpellierapostas ilegais

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG