Tamanho do texto

Todas ficaram muito contentes com o projeto, inclusive algumas declararam que querem voltar, revelou o presidente da Confederação Brasileira

O presidente da CBHb (Confederação Brasileira de Handebol), Manoel Luiz Oliveira, revelou nesta quarta-feira que já iniciou o trabalho para repatriar as jogadoras da seleção brasileira que estão atuando em equipes estrangeiras. A ideia dele é que o grupo inteiro esteja jogando no País no ano que vem, quando o Mundial Feminino de Handebol será disputado no Brasil - a competição acontece em dezembro, em Santa Catarina.

"Já tivemos um primeiro contato com as atletas desde o ano passado, no Mundial da China, e estamos seguindo um cronograma, quando combinamos de, no final deste ano, conversarmos novamente sobre o assunto. Todas foram muito receptivas, ficaram muito contentes com o projeto, inclusive algumas declararam de imediato que querem voltar, e isso nos estimula a manter esse trabalho de repatriamento para criarmos a seleção olímpica permanente", explicou o dirigente.

Do grupo de 16 jogadoras que levou o Brasil à medalha de bronze no Torneio Internacional da Espanha, no último fim de semana, 12 estão atuando no exterior. E, pelo projeto da CBHb, elas voltariam ao País em maio ou junho de 2011, quando ficariam à disposição da seleção. "O calendário europeu só termina nesse período e o nosso objetivo é não prejudicar a relação delas e nem fazer com que fiquem mal com os clubes", disse Manoel Luiz Oliveira. "Tenho certeza que, treinando juntas, aqui no Brasil, essa equipe vai chegar longe."