Aaron Hernandez, de 25 anos e ex-tight end do New England Patriots, foi considerado culpado nesta quarta-feira pelo homicídio de Odin Lloyd, ocorrido em junho de 2013

Aaron Hernandez escuta o veredicto em seu julgamento nos Estados Unidos
Dominick Reuter/AP
Aaron Hernandez escuta o veredicto em seu julgamento nos Estados Unidos

Considerado um dos jogadores mais promissores da NFL, Aaron Hernandez, ex-tight end do New England Patriots (atual campeão da liga profissional de futebol americano), foi condenado em júri popular nesta quarta-feira à prisão perpétua pelo homicídio de Odin Lloyd, namorado de sua irmã, encontrado morto com seis tiros, em junho de 2013, no estado de Massachusetts, nos Estados Unidos. Ele também cumprirá pena por posse ilegal de armas e munição.

Relembre outros atletas que tiveram problemas com a Justiça:

Apesar de a arma usada nunca ter sido encontrada, outras evidências pesaram contra o ex-jogador, como o depoimento de testemunhas e imagens de uma câmera de segurança, que o mostram próximo ao local do crime portando um revólver dez minutos antes do assassinato. O advogado de defesa tentou alegar que, aos 23 anos, ele não sabia das consequências de seus atos, na tentativa de amenizar a pena imposta, mas não conseguiu convencer o júri. Ao ouvir o veredicto, Hernandez não esboçou reação, olhou para a mãe, Terri, e a noiva, Shyanna Jenkis, que choravam bastante, e sussurrou: "Sejam fortes."

Leia também: Sem medo de pressão pelo bi, Zanetti sonha primeiro com vaga no Rio 2016

Hernandez, de 25 anos, defendeu o New England Patriots entre 2010 e 2012 e disputou o Super Bowl, a final da NFL, em 2011. Um ano antes do crime, assinou contrato de US$ 40 milhões, ou cerca de R$ 123 milhões, com a franquia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.