Ryan Clark afirma que jogadores encaram o hábito como uma maneira "mais natural" de encarar o stress

Ryan Clark, jogador do Pittsburgh Steelers
Getty Images
Ryan Clark, jogador do Pittsburgh Steelers

O uso da maconha está longe de ser algo raro entre os jogadores de futebol americano. Pelo menos foi isso o que declarou Ryan Clark, que atua na NFL (liga profissional norte-americana) pelo Pittsburgh Steelers, nesta quinta-feira, em entrevista à ESPN norte-americana. Segundo ele, alguns atletas, incluindo alguns companheiros de time, adotaram o hábito "por uma variedade de razões", especialmente para aliviar a dor.

"Eu conheço caras no meu time que fumam", disse Clark. "E não é uma situação em que você pensa que eles querem apenas parecer descolados. Eles fazem isso de forma recreativa, muitas vezes para aliviar o stress. Muito disso serve de medicação para a dor que sentem. Os caras entendem que isso (a maconha) os deixa longe de medicamentos e substâncias mais pesadas que podem deixá-los viciados. Eles entendem que é uma maneira mais natural de se curarem, de aliviarem o stress e as dores. E eles vão continuar fazendo isso", completou.

Além disso, Clark ainda concordou na entrevista com o ponto de vista exposto recentemente por Antonio Cromatite, jogador da NFL que atua no New York Jets. O comentário em questão é que a liga está travando uma causa perdida em proibir a maconha e que o sistema de teste contra o uso dela não é tão eficaz.

"Isso é 100% verdade. Eles estão travando uma batalha que já está perdida. O teste não é rigoroso. Existe apenas um treino aleatório antes do início da temporada. Depois disso, não há mais. Então, os caras dão um jeito de driblar o teste e não serem pegos", encerrou Clark.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.