Peyton Manning e o Denver Broncos tiveram a melhor campanha da última temporada. Para 2013, eles perderam Elvis Dumervil por uma confusão, mas terão Wes Welker, arma favorita de Tom Brady nos últimos anos, ao seu lado

Denver Broncos de Peyton Manning (camisa 18) é o principal favorito da AFC a ir para o Super Bowl
Getty Images
Denver Broncos de Peyton Manning (camisa 18) é o principal favorito da AFC a ir para o Super Bowl

DENVER BRONCOS

Onde joga: Sports Authority Field at Mile High
Campanha em 2012: 13v/3d, derrota na rodada de divisão
Campanha da pré-temporada: 2v/2d
Títulos de Super Bowl: 2
Quanto vale: US$ 1,16 bilhão
Técnico: John Fox
O craque: Peyton Manning (quarterback)
Torcedor ilustre: Trey Parker e Matt Stone (criadores de “South Park”)
Objetivo em 2013: Super Bowl

Não se mexe em time que está ganhando, certo? Errado, se for para melhorar, se mexe sim. Em 2012, a primeira temporada de Peyton Manning após um ano parado, os wide receivers Demaryius Thomas e Eric Decker somaram 179 recepções para 2.498 jardas e 23 touchdowns. Para 2013, eles trouxeram Wes Welker, que passou das 100 bolas recebidas em cinco dos seis anos que passou ao lado de Tom Brady no New England Patriots. Não bastasse a força no ataque aéreo, o Denver ainda conta com Montee Ball, recordista de touchdowns marcados na NCAA, Ronnie Hilman e Knowshow Moreno – a média de idade dos três é de apenas 23 anos.

A defesa perdeu Elvis Dumervil, mas tem Von Miller, concorrente de J.J. Watt ao posto de melhor defensor da temporada. Ou melhor, tinha Von Miller. O linebacker está suspenso das seis primeiras partidas, e embora isso não atrapalhe os planos da franquia de conquistar a divisão, pode atrapalhar na hora de conseguir uma folga na primeira rodada dos playoffs. Apesar do time ter ido bem contra o passe, a secundária sofreu para conter Joe Flacco. A vinda de Dominique Rodgers-Cromartie tem como objetivo mudar isso.

KANSAS CITY CHIEFS

Onde joga: estádio Arrowhead
Campanha em 2012: 2v/14d
Campanha da pré-temporada: 2v/2d
Títulos de Super Bowl: 1
Quanto vale: US$ 1 bilhão
Técnico: Andy Reid
O craque: Jamaal Charles (running back)
Torcedor ilustre: Paul Rudd (ator)
Objetivo em 2013: beliscar os playoffs

Apesar da pior campanha de 2012, que fique clara uma coisa: o time do Chiefs não é tão ruim quanto esses números podem dar a entender. A equipe teve o 5° melhor ataque terrestre, sua defesa contra o passe está entre as 12 melhores da liga e seis jogadores foram ao último Pro Bowl, jogo das estrelas da NFL.

A chegada do técnico Andy Reid e do quarterback Alex Smith pode dar um novo ânimo para o clube e para os torcedores, responsáveis por um dos locais mais hostis para quem joga como visitante. Smith não tem tanta força no braço como outros QBs, mas é eficiente e eficaz como poucos, algo que fazia falta no ataque do Kansas City. O calendário não é tão complicado, e se os quatro times da AFC Norte se matarem por uma vaga, é capaz do Chiefs conseguir um vaga por wild card com nove ou dez vitórias. É cedo para falar em playoffs aqui, mas as mudanças podem surtir efeito já em 2013.

Matt Flynn (camisa 15), do Raiders, terá a oportunidade de iniciar a temporada como titular pela primeira vez
AP Photo/Matthew Hinton
Matt Flynn (camisa 15), do Raiders, terá a oportunidade de iniciar a temporada como titular pela primeira vez

OAKLAND RAIDERS

Onde joga: o.Co Coliseum
Campanha em 2012: 4v/12d
Campanha da pré-temporada: 1v/3d
Títulos de Super Bowl: 3 (1 como Los Angeles Raiders)
Quanto vale: US$ 825 milhões
Técnico: Dennis Allen
O craque: Darren McFadden (running back)
Torcedor ilustre: Tiger Woods (golfista)
Objetivo em 2013: incógnita

É difícil traçar uma previsão para o Raiders. Das quatro vitórias da temporada passada, duas foram em cima do Kansas City Chiefs (lanterna da liga), uma sobre o fraco Jacksonville Jaguars e a última, com uma atuação de gênio do ex-quarterback Carson Palmer (ele está no Arizona Cardinals), diante do Pittsburgh Steelers.

Quem manda no ataque californiano neste momento é Terrelle Pryor, quarterback vindo do Ohio State Buckeyes e esperança do Raiders de se tornar um novo Russell Wilson. Curiosamente, este é o segundo ano consecutivo que o então QB titular Matt Flynn perde seu posto um pouco antes da temporada começar. Em 2012, quando ainda estava no Seattle Seahawks, Wilson foi nomeado como o comandante do ataque - decisão que se mostrou acertada. Na defesa, que não é grande coisa, vale observar o veterano Charles Woodson e o calouro D.J. Hayde, ambos jogadores da linha secundária.

SAN DIEGO CHARGERS

Onde joga: estádio Qualcomm
Campanha em 2012: 7v/9d
Campanha da pré-temporada: 1v/3d
Títulos de Super Bowl: nenhum
Quanto vale: US$ 949 milhões
Técnico: Mike McCoy
O craque: Philip Rivers (quarterbacks)
Torcedor ilustre: Chuck Liddell (ex-lutador de MMA)
Objetivo em 2013: se recuperar dos últimos anos ruins

A dança de cadeiras da NFL é rápida, e uma prova disso é o San Diego Chargers. Anos atrás, a equipe da Califórnia era uma das melhores da liga, ofensivamente e defensivamente falando. Hoje, eles não botam medo em ninguém, e boa parte disso é culpa da irregularidade do quarterback Philip Rivers. Nos últimos dois anos, o QB lançou 35 interceptações – Mark Sanchez, o jogador mais odiado do New York Jets e cuja cabeça é pedida de ano em ano, lançou 36 no mesmo período.

Rivers terá que jogar bem, ainda que faltem corredores e recebedores de qualidade ao seu lado. A defesa faz um trabalho decente contra a corrida, e será curioso ver o veterano Dwight Freeney atuando com o calouro Manti Te’o (Te’o é o linebacker que caiu no golpe da namorada virtual, história que ainda não ficou muito bem esclarecida).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.