Divisão do atual campeão Baltimore Ravens promete mais uma batalha dura entre eles e o Pittsburgh Steelers. Nunca é fácil encarar Ravens e Steelers, mas o Cincinnati Bengals, jovem e competente, pode tomar a divisão

John Harbaugh com o troféu Vince Lombardi, conquistado após a vitória sobre o 49ers no Super Bowl
AP
John Harbaugh com o troféu Vince Lombardi, conquistado após a vitória sobre o 49ers no Super Bowl

BALTIMORE RAVENS

Onde joga: estádio M&T Bank
Campanha em 2012: 10v/6d, vitória no Super Bowl
Campanha da pré-temporada: 2v/2d
Títulos de Super Bowl: 2
Quanto vale: US$ 1,22 bilhão
Técnico: John Harbaugh
O craque: Joe Flacco (quarterback) 
Torcedor ilustre: Michael Phelps (ex-nadador)
Objetivo em 2013: playoffs

Poucos times foram capazes de conquistar o Super Bowl em anos consecutivos, logo, a tarefa do Baltimore de repetir a façanha não será fácil. Anquan Boldin, Ray Lewis e Ed Reed, três jogadores que faziam a diferença, não estão mais com a equipe. Por outro lado, Elvis Dumervil chegou após uma confusão na renovação de seu contrato com o Denver Broncos e vai formar uma dupla formidável ao lado de Terrell Suggs.

Joe Flacco calou a boca dos críticos ao conquistar o Super Bowl, em fevereiro deste ano, mas parece ter que o quarterback terá que provar novamente do que é capaz. Se ele jogar como jogou nos playoffs, o Baltimore é franco favorito a levar a divisão e chegar forte novamente nos playoffs. Se ele vacilar, Pittsburgh Steelers e Cincinnati Bengals estão ávidos pelo título da divisão.

CINCINNATI BENGALS

Onde joga: estádio Paul Brown
Campanha em 2012: 10v/6d, derrota na rodada de wild card
Campanha da pré-temporada: 3v/1d
Títulos de Super Bowl: nenhum
Quanto vale: US$ 924 milhões 
T é cnico: Marvin Lewis
O craque: A.J. Green (wide receiver)
Torcedor ilustre: George Clooney (ator)
Objetivo em 2013: avançar nos playoffs

Andy Dalton liderou o Cincinnati Bengals rumo aos playoffs em suas duas temporadas na NFL, e nas duas a franquia foi eliminada pelo Houston Texans. É hora de dar o passo seguinte, mas será que o quarterback é um QB de elite ou seu sucesso precoce na liga se deve à boa defesa? Esta temporada pode solucionar a dúvida.

Não há dúvidas que Dalton possui talento ao seu redor. O wide receiver A.J. Green, de apenas 25 anos, é um dos melhores da liga, está evoluindo e deve passar das 100 bolas recebidas em 2013. Resta saber quem vai ser o outro recebedor que pode ajudar a tirar a pressão de cima de Green – pode ser que o tight end Tyler Eifert, de 1,98 m de altura e apontado como candidato a melhor calouro de ataque do ano, faça essa diferença. Pelo chão, o running back novato Giovani Bernard vem chamando atenção, vale a pena ficar de olho nele. A defesa não tem segredos. É equilibrada contra o passe e a corrida, e conta agora com James Harrison, ex-Pittsburgh Steelers. O Bengals vai brigar de igual para igual com Baltimore e Pittsburgh. Não fique surpreso se as três equipes avançarem para a pós-temporada.

Brandon Weeden, quarterback do Cleveland Browns, mostrou evolução durante a pré-temporada da equipe
AP Photo/Mark Duncan
Brandon Weeden, quarterback do Cleveland Browns, mostrou evolução durante a pré-temporada da equipe

CLEVELAND BROWNS

Onde joga: estádio FirstEnergy
Campanha em 2012: 5v/11d
Campanha da pré-temporada: 3v/1d
Títulos de Super Bowl: nenhum
Quanto vale: US$ 1 bilhão
Técnico: Rob Chudzinski
O craque: Trent Richardson (running back)
Torcedor ilustre: Condoleeza Rice (ex-Secretária de Estado dos EUA)
Objetivo em 2013: deixar de ser saco de pancadas

Não dê o Cleveland Browns como morto. A equipe de Ohio pode não superar seus rivais de divisão e ir para os playoffs, mas a probabilidade de fazer uma campanha melhor que a do ano passado é grande. A comissão técnica é nova, com Rod Chudzinski no comando, Norv Turner no ataque e Ray Horton na defesa. Cabe a Turner fazer com que Brandon Weeden, quarterback recrutado no ano passado, mas que já chegou velho – com 29 anos – à NFL, ou seja, não há tempo a perder para Weeden. Pré-temporada não é um grande parâmetro, mas é válido dizer que o QB foi muito bem nas duas primeiras partidas do Cleveland.

Entre os defensores, o Browns possui um elenco interessante no que diz respeito ao seu front-seven (os sete primeiros homens da defesa, não contando a linha secundária). O clube trouxe Paul Kruger do Baltimore e recrutou Barkevious Mingo para um grupo que contava com Ahtyba Rubin, Phil Taylor e Desmond Bryant.

PITTSBURGH STEELERS

Onde joga: Heinz Field
Campanha em 2012: 8v/8d
Campanha da pré-temporada: 0v/4d
Títulos de Super Bowl: 6
Quanto vale: US$ 1,11 bilhão
Técnico: Mike Tomlin
O craque: Troy Polamalu (strong safety)
Torcedor ilustre: Snoop Dogg (cantor)
Objetivo em 2013: playoffs

Se o assunto é camisa que enverga varal, a preta e amarela do Steelers é um bom exemplo. A defesa parece sobreviver aos efeitos do tempo e segue como uma das melhores da NFL, seja contra o passe ou contra a corrida. A lenda Troy Polamalu perdeu nove jogos em 2012, mas, aparentemente, está 100% saudável, o que é uma péssima notícia para quarterbacks e recebedores adversários. O problema do Pittsburgh pode estar no ataque.

Ben Roethlisberger é o melhor quarterback da divisão e tem dois títulos de Super Bowl no currículo, mas agradeceria se a sua linha ofensiva desse um pouco mais de proteção. Existe um pensamento de que Big Bem tem que ficar mais tempo no pocket e se expor menos aos tackles dos defensores, mas é neste momento em que foge do pocket e cria jogadas com as pernas que ele é mais perigoso. O ataque terrestre esteve entre os dez piores da NFL na última temporada, e a julgar pela pré-temporada, isso não deve mudar muito. A partida contra o Ravens, no dia 20 de outubro, deve definir os rumos do clube.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.