Guia da NFL: quem é quem na AFC Leste

Por Brunno Kono | iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

New England Patriots, do quarterback Tom Brady, segue como favorito, apesar dos desfalques no ataque. Miami Dolphins pode surgir como surpresa nos playoffs, enquanto New York Jets e Buffalo Bills seguem em reconstrução

Getty Images
New England Patriots, de Tom Brady, é o favorito para vencer a AFC Leste

BUFFALO BILLS

Onde joga: estádio Ralph Wilson 
Campanha em 2012: 6v/10d 
Campanha da pré-temporada: 2v/2d 
Títulos de Super Bowl: nenhum 
Quanto vale: US$ 870 milhões 
Técnico: Doug Marrone
O craque: Mario Williams (linha defensiva)
Torcedor ilustre: Donald Trump (empresário)
Objetivo em 2013: ter um QB consolidado

Convencido de que Ryan Fitzpatrick não era a resposta para a posição de quarterback, o Buffalo Bills trouxe dois: um via draft, E.J. Manuel, e outro via mercado, Kevin Kolb. O problema é que ambos sofreram lesões durante a pré-temporada, o que atrapalhou os planos do treinador Doug Marrone de ter um nome definido o quanto antes. Para piorar, o histórico de concussões de Kolb pode tirá-lo dos gramados para sempre, antecipando sua aposentadoria – não é à toa que eles contrataram o veterano Matt Leinart como reforço de última hora.

Só que nem tudo é tragédia no Buffalo. Se a franquia tem seus problemas para saber quem vai lançar a bola, eles sabem muito bem quem vai correr com ela. C.J.Spiller e Fred Jackson formam uma ótima dupla de running backs, e vale prestar atenção no calouro Marquise Goodwin, extremamente veloz nos retornos de kickoffs e punts. A defesa é decente contra o passe, mas Mario Williams e seu contrato de US$ 100 milhões precisam inspirar os colegas na contenção das corridas adversárias. O calendário do Bills é muito complicado, então é aconselhável torcedor não ter muitas expectativas.

MIAMI DOLPHINS

Onde joga: estádio Sun Life
Campanha em 2012: 7v/9d
Campanha da pré-temporada: 2v/3d (tem um jogo a mais)
Títulos de Super Bowl: 2
Quanto vale: U$ 1,07 bilhão
cnico: Joe Philbin
O craque: Mike Wallace (wide receiver) 
Torcedor ilustre: Serena Williams (tenista)
Objetivo em 2013: playoffs

Sem sombra de dúvidas, é a segunda força da divisão. Alguns especialistas se apressaram em nomear o Miami Dolphins como virtual campeão do grupo, mas por maiores que sejam os problemas do New England, é cedo para fazer esse tipo de diagnóstico. Ryan Tannehill provou que poderia sobreviver ao seu primeiro ano na NFL e ganhou um presente da direção: o wide receiver Mike Wallace. A julgar pela pré-temporada, os dois parecem entrosados, e essa relação será fundamental para o bom andamento do ataque do Miami.

Vale lembrar que o running back Reggie Bush, autor de 2.660 jardas e 15 touchdowns (entre corridas e passes recebidos), se mudou para o Detroit Lions, ou seja, Lamar Miller, atleta de segundo ano apenas, terá que minimizar os efeitos da saída de Bush – e ele não tem empolgado muita gente na pré-temporada. Desbancar o Patriots pode ser um sonho distante ainda. Uma vaga nos playoffs pelo wild card, nem tanto.

NEW ENGLAND PATRIOTS

Onde joga: estádio Gillette
Campanha em 2012: 12v/4d, derrota na final da AFC
Campanha da pré-temporada: 3v/1d
Títulos de Super Bowl: 3
Quanto vale: US$ 1,8 bilhão
Técnico: Bill Belichick
O craque: Tom Brady (quarterback)
Torcedor ilustre: Gisele Bündchen (modelo)
Objetivo em 2013: Super Bowl

Quem tem Tom Brady e Bill Belichick deve confiar no time, o que não significa que o time está nadando em confiança. Wes Welker, principal recebedor de Brady, joga agora pelo maior rival de conferência, Aaron Hernandez foi preso e acusado de homicídio, e Rob Gronkowski, grande esperança da equipe, é daqueles que podem se lesionar a qualquer momento.

Entre as notícias boas, Danny Amendola chegou para o lugar de Welker, enquanto Stevan Ridley e Shane Vereen são dois running backs confiáveis – os dois foram os grandes responsáveis por alçar o ataque terrestre do Patriots ao posto de 7° melhor da NFL. A defesa é segura contra a corrida, mas precisa melhorar na cobertura dos passes, e o safety veterano Adrian Wilson deve desempenhar um papel importante. Os três primeiros jogos da equipe (Bills, New York Jets e Tampa Bay Buccaneers) são relativamente tranquilos. No quarto, fora de casa, diante do Atlanta Falcons, o bicho pega – é bom Brady e seus companheiros estarem em sintonia até lá.

Getty Images
Mark Sanchez (camisa 6) pode disputar sua última temporada com o New York Jets

NEW YORK JETS

Onde joga: estádio MetLife
Campanha em 2012: 6v/10d
Campanha da pré-temporada: 3v/1d
Títulos de Super Bowl: 1
Quanto vale: US$ 1,38 bilhão
Técnico: Rex Ryan
O craque: Santonio Holmes (wide receiver) 
Torcedor ilustre: Kevin James (ator)
Objetivo em 2013: arrumar a casa

Enquanto metade – ou mais – de Nova York ainda comemora os títulos conquistados pelo New York Giants nos últimos anos, a outra metade, a alviverde, lamenta. O Jets está em processo de reconstrução e vai penar um pouco em 2013. John Idzik, novo diretor do clube, promoveu uma bela faxina, trocou o principal nome do time, mas antes que o torcedor se revolte com a saíde de Darrelle Revis, é bom lembrar que eles se viraram bem na ausência do defensor em boa parte da temporada passada.

O técnico Rex Ryan está na corda bamba. Se o time voltar a passar vergonha, é seguro dizer que ele vai procurar trabalho em outra equipe no ano que vem. Mark Sanchez será o titular novamente. Ele tem 16 partidas para provar que pode ser um quarterback titular na NFL, mas em algum momento de 2013 ou 2014, o calouro Geno Smith, recrutado no draft deste ano, deve assumir as rédeas, por mais que ele tenha protagonizado alguns papelões na pré-temporada – e inclua aí sair da própria end zone sem querer e provocar um safety a favor do adversário.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas