Publicidade
Publicidade - Super banner
Mais Esportes
enhanced by Google
 

COB define valores da Lei Agnelo/Piva para 2011

Comitê estabeleceu um piso de R$ 1,3 milhão para as Confederações que não dispõem de patrocínio e um teto de R$ 3 milhões anuais para todas

iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237882634184&_c_=MiGComponente_C

Para diminuir a diferença entre as Confederações que já dispõem de patrocínios e as que ainda não contam com esse tipo de recurso, o COB (Comitê Olímpico Brasileiro) definiu os novos valores iniciais da Lei Agnelo/Piva para o próximo ano. Os órgãos ainda terão à disposição um fundo de R$ 14 milhões para a realização de outros projetos, um aumento de 52,9% em relação a 2010.

"O objetivo do COB é aproximar os valores recebidos pelas Confederações, de forma a proporcionar condições de desenvolvimento às modalidades olímpicas, sobretudo as que não têm patrocínios, levando-se em conta também o histórico das modalidades e as possibilidades de futuras medalhas", explicou o superintendente executivo de esportes do COB, Marcus Vinícius Freire.

Divulgação
Confederação Brasileira de Vôlei vai receber R$ 3 milhões, novo teto da lei Agnelo/Piva

Para a definição dos valores o COB utilizou cinco critérios básicos: resultados da Confederação em 2010; possibilidade de medalhas em Campeonatos Mundiais, Jogos Pan-americanos Guadalajara 2011 e Jogos Olímpicos Londres 2012; atletas das Confederações que estejam entre os Top 10 do mundo; patrocínios recebidos pelas Confederações; e liberação do uso do uniforme de competição em eventos como Jogos Sul-americanos, Jogos Pan-americanos e Jogos Olímpicos.

Com isso, o COB estabeleceu um piso de R$ 1,3 milhão para as Confederações que não dispõem de patrocínio e um teto de R$ 3 milhões anuais, e mesmo as entidades patrocinadas terão um aumento em 2011. As Confederações Brasileiras de Golfe e de Rugbi, que iniciam um trabalho de preparação para o Rio 2016, receberão R$ 500 mil cada. O handebol, que não proporcionou medalhas olímpicas ao Brasil, teve repasse semelhante às modalidades "medalhistas" porque perdeu o patrocínio da Petrobrás.

A Lei Agnelo/Piva destina 2% do prêmio pago aos apostadores de todas as loterias federais do país ao COB (85%) e ao Comitê Paraolímpico Brasileiro (15%). Para 2011 o COB trabalha com uma estimativa de arrecadação de R$ 130 milhões.

Dos recursos recebidos, o COB é obrigado por lei a investir 10% no esporte escolar (R$ 13 milhões estimados para 2011) e 5% no esporte universitário (R$ 6,5 milhões em 2011). Dos cerca de R$ 110 milhões restantes, R$ 69 milhões serão aplicados nos programas das 29 Confederações Brasileiras Olímpicas, exceto o futebol. Estes R$ 68,8 milhões estarão divididos entre a soma dos valores iniciais para as Confederações em 2011 (R$ 54,8 milhões) e do Fundo Olímpico (R$ 14 milhões), que será formado para atender os projetos especiais apresentados pelas Confederações. Esses projetos irão priorizar os esportes individuais.

AFP
Judô teve aumento de R$ 2,825 milhões para R$ 3 milhões no reajuste de 2011

Os cerca de R$ 40 milhões que serão administrados diretamente pelo COB serão utilizados em ações para o desenvolvimento do esporte, como implantação do Laboratório Olímpico, ampliação do Centro de Treinamento Time Brasil, manutenção do Parque Aquático Maria Lenk e do Velódromo, manutenção do próprio COB e despesas com o envio da missão brasileira aos Jogos Pan-americanos Guadalajara 2011 e aos Jogos Sul-americanos de Praia Manta 2012, preparação do Time Brasil para o Rio 2016 e com os preparativos para os Jogos Olímpicos Londres 2012 e para os Jogos Olímpicos de Inverno da Juventude Insbruck 2012.

Confira os valores iniciais de cada Confederação em 2011:

Atletismo - De R$ 2.825.000,00 em 2010 para R$ 3.000.000,00 
Badminton - De R$ 904.000,00 para R$ 1.300.000,00
Basquete - De R$ 1.921.000,00 para R$ 2.100.000,00
Boxe - De R$ 1.582.000,00 para R$ 1.700.000,00
Canoagem - De R$ 1.808.000,00 para R$ 2.300.000,00
Ciclismo - De R$ 1.808.000,00 para R$ 2.300.000,00
Desportos Aquáticos - De R$ 2.825.000,00 para R$ 3.000.000,00
Desportos na Neve - De R$ 678.000,00 para R$ 800.000,00
Desportos no Gelo - De R$ 678.000,00 para R$ 800.000,00
Esgrima - De R$ 1.017.000,00 para R$ 1.100.000,00
Ginástica - De R$ 2.599.000,00 para R$ 2.800.000,00
Golfe - R$ 500.000,00
Handebol - De R$ 2.599.000,00 para R$ 3.000.000,00
Hipismo - De R$ 2.034.000,00 para R$ 2.900.000,00
Hóquei sobre a Grama - De R$ 904.000,00 para R$ 1.300.000,00
Judô - De R$ 2.825.000,00 para R$ 3.000.000,00
Levantamento de Peso - De R$ 904.000,00 para R$ 1.100.000,00
Lutas Associadas - De R$ 1.017.000,00 para R$ 1.500.000,00
Pentatlo Moderno - De R$ 904.000,00 para R$ 1.300.000,00
Remo - De R$ 1.808.000,00 para R$ 1.900.000,00
Rúgbi - R$ 500.000,00
Taekwondo - De R$ 1.130.000,00 para R$ 1.200.000,00
Tênis - De R$ 1.469.000,00 para R$ 1.800.000,00
Tênis de Mesa - De R$ 1.808.000,00 para R$ 2.300.000,00
Tiro com Arco - De R$ 904.000,00 para R$ 1.300.000,00
Tiro Esportivo - De R$ 1.469.000,00 para R$ 2.000.000,00
Triatlo - De R$ 1.356.000,00 para R$ 2.000.000,00
Vela e Motor - De R$ 2.825.000,00 para R$ 3.000.000,00
Vôlei - De R$ 2.825.000,00 para R$ 3.000.000,00

*Com agências

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG