Ciclista perdeu seus sete títulos da Volta da França, obtidos entre 1999 e 2005, e foi banido do esporte em outubro, após relatório feito pela Usada

Reuters

O diretor do laboratório para análise de doping da Suíça negou alegações de que ensinou o ciclista norte-americano Lance Armstrong a evitar ser detectado em exames para o EPO.

Martial Saugy disse que se encontrou com Armstrong uma vez, em 2002, a pedido da União Internacional de Ciclismo, para conversar sobre os testes, mas rejeitou a sugestão de que teria dito ao atleta como evitar ser pego.

"A resposta para a pergunta é clara: não, eu não mostrei o caminho para Lance Armstrong (evitar a detecção)", disse ele em uma coletiva de imprensa. "Teria sido um paradoxo com relação ao meu trabalho como chefe de um laboratório antidoping. A luta contra o doping é a obra de nossa vida. É verdade que houve um encontro, e isso não é um fato novo. No contexto, acho que foi a coisa certa a fazer. Não foi um erro nem um ato de ingenuidade, como alguns escreveram. Eu só o encontrei por cerca de 20 minutos em toda a minha vida. É direito básico dos esportistas conhecerem a base científica de uma análise", completou.

Armstrong perdeu seus sete títulos da Volta da França, obtidos entre 1999 e 2005, e foi banido do esporte em outubro, depois de um relatório feito pela Agência Antidoping dos Estados Unidos (Usada).

A Usada disse que Armstrong tinha se envolvido "no programa de doping mais sofisticado e bem sucedido que o esporte já viu".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.