Tamanho do texto

Diretor da competição defende que as sete edições vencidas pelo norte-americano, entre 1999 e 2005, fiquem sem campeão definido

AFP

O diretor da Volta da França, Christian Prudhomme, defendeu nesta sexta-feira que as sete vitórias do americano Lance Armostrong (1999-2005) não sejam atribuídas a outros ciclistas, depois de este ter sido punido pela agência americana antidoping (Usada).

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Não podemos ser indiferentes ao que a Usada revelou esta semana, um quadro condenatório se desenha", afirmou Prudhomme sobre o relatório divulgado na quarta-feira que detalha o sistema de doping utilizado por Armstrong e sua equipe.

Leia mais:  Acusadores de Armstrong são suspensos após confissão

Segundo o relatório, Armstrong, que tem o recorde de vitórias na prova por etapas mais importante do ciclismo de estrada, utilizou doping de forma sistemática dentro de uma organização estabelecida com suas equipes (US Postal e Discovery Channel).

A Usada baniu Armstrong do ciclismo e anulou seus resultados, uma decisão que deve ser validada pela UCI (União Ciclística Internacional), já que a agência tem competência apenas nos Estados Unidos.

"Apesar de parecer surpreendente de fora, os organizadores não são os donos dos títulos", destacou Prudhomme.