Publicidade
Publicidade - Super banner
Mais Esportes
enhanced by Google
 

Brasil é bronze no revezamento no Mundial de natação

A equipe nacional, que contou com César Cielo, melhorou o tempo das eliminatórias e bateu novo recorde sul-americano

Aretha Martins, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237882730613&_c_=MiGComponente_C

O Brasil faturou a primeira medalha no Campeonato Mundial de natação em piscina curta, de 25 metros, disputado em Dubai, nos Emirados Árabes. A equipe brasileira formada por  Nicholas Santos, Cesar Cielo, Marcelo Chierighini e Nicolas Oliveira ficou com o bronze no revezamento 4x100m livre nesta quarta-feira.

O Brasil começou atrás, chegou a ficar em sexto lugar, mas conseguiu uma bela recuperação e assumiu a liderança com César Cielo na piscina. Ele entregou na liderança e, depois, seus companheiros conseguiram se segurar entre os líderes e o Brasil bateu na terceira colocação, com o tempo de 3min05s74. A medalha de ouro foi para a França, que contou com os astros Alain Bernard e Frederick Bousquet e estabeleceu novo recorde do campeonato, com o tempo de 3min04s78. A prata foi para a Rússia (3min04s82). Estados Unidos e Austrália decepcionaram, fechando em quarto e quinto lugares, respectivamente.

A equipe do Brasil melhorou seu desempenho em relação as eliminatórias e fez a nova melhor marca sul-americana. Na prova que valia a vaga na final, os nadadores já haviam quebrado o recorde

Satiro Sodré/Divulgação CBDA
Sorriso dos brasileiros depois do bronze no primeiro dia de decisões no Mundial em piscina curta, de 25 metros

Herói da prova, Cielo elogiou os companheiros e afirmou que esta medalha coloca o Brasil entre os melhores para a ciclo olímpico que está por vir. "A gente precisava de uma medalha no revezamento para mostrar que a gente tem um grupo forte, foi um grande passo. Foi uma prova emocionante, superou as nossas expectativas", disse César, ao "Sportv".

Primeiro a entrar na piscina, Nicholas aproveitou a oportunidade para parabenizar Marcelo, integrante da equiope nacional que disputa seu primeiro Mundial. "Está de parabéns, em seu primeiro Mundial com medalha. Agora ele vai pagar a churrascaria para a gente", brincou o nadador, que não escondeu a surpresa com o bronze.

"Lutei bastante, foi um resultado que surpreendeu. Conseguimos com muita raça e muito coração", acrescentou Nicholas. Já o estreante Marcelo está radiante. "É inacreditável, no primeiro Mundial com medalha já, estou muito feliz, serviu de motivação. Agora, é só pagar a carne para eles", declarou.

Último brasileiro do revezamento, Nicolas Oliveira revelou que entrou na água sem saber em que posição o Brasil estava. "Eu nem sabia, só estava preocupado em derrotar quem estava do meu lado. A emoção é muito grande, assim como a responsabilidade. Sentimento de missão cumprida", concluiu.

César Cielo soma a sua segunda medalha no revezamento no Mundial. Em 2004, em Indianápolis, ele levou a prata com a equipe brasileira.

Outros brasileiros no Mundial
A primeira participação do Brasil foi com Guilherme Guido, na semifinal dos 100m costas. Ele virou a primeira metade da prova, mas acabou a sua série em terceiro lugar e passou para a final, com o tempo de 50s83, o quinto melhor. Russo Stanislav Donets foi o melhor e ainda quebou o recorde do campeonato (49s62).

Já Felipe França chegou à final dos 100m peito com o segundo melhor tempo (57s19), colado no líder Mihall Alexandrov (587'18 e recorde do campeonato). Nos 100m borboleta, Kaio Márcio liderou até a metade, mas acabou sua bateria em terceiro e passou para a final também com terceiro tempo do total (50s62).

Divulgação
Felipe França disputa a semifinal dos 100m peito no Mundial em Dubai

Entre as mulheres, Fabíola Molina melhorou seu tempo na semifinal dos 100m costas em relação à classificatória, mas ficou apenas com o 11º lugar (58s63) e fora da decisão.

Primeiras medalhas em Dubai
A última prova desta quarta-feira no Campeonato Mundial reservou uma surpresa. No revezamento 4x200m livre para mulheres, a equipe da China faturou a medalha de ouro e ainda estabeleceu o novo recorde mundial da prova, com o tempo de 7min35s94. Foi a primeira quebra de recorde mundial registrada depois da probição dos maiôs tecnológicos. O pódio foi completado por Austrália e França.

O norte-americano Ryan Lotche também levou o ouro, nos 200m livre. Ele, que já havia sido o melhor e batido o recorde do campeonato nas eliminatórias, melhorou a sua marca, fez novo recorde e venceu com o tempo de 1min41s08. O recordista mundial da prova Paul Biedermann ficou apenas em quinto lugar.

Em outra final nesta quarta-feira, ouro para a espanhola Mirela Belmonte nos 200m borboleta (2min03s59 e recorde do campeonato). Nenhum brasileiro conseguiu índice para essa prova. A espanhola também venceu os 400m medley, mais uma prova sem brasileiros, e bateu mais um recorde do torneio (4min24s21).

*com Gazeta Esportiva

Leia tudo sobre: outros esportes - natação

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG