Relembre as conquistas e a carreira de um dos maiores pugilistas de todos os tempos, que faleceu na última segunda

O boxe perdeu na última segunda-feira um de seus maiores ídolos de todos os tempos. O peso pesado Joe “Smokin” Frazier morreu aos 67 anos vítima de câncer no fígado deixando um legado de atuações épicas e contribuições para sempre recordadas dentro da modalidade. O iG Esporte separou alguns momentos que marcaram o legado de Frazier para a modalidade e para as lutas em geral. Confira: 

A Luta do Século
Dois guerreiros invictos em busca do cinturão dos pesados. A chamada “Luta do Século” de 1971 foi uma das mais aguardadas da história do boxe e até hoje é relembrada como um marco do esporte.

Veja também: Após provocações, Floyd Mayweather poderá enfrentar Pacquiao

Joe Frazier e Muhammad Ali se encontraram no Madison Square Garden, em Nova York, e realizaram um duelo aberto, sangrento e cheio de golpes para ambos os lados. No fim, Frazier levou a melhor por pontos após uma clara supremacia ao longo do embate com direito a uma queda no 15º e último assalto. A invencibilidade de Ali havia terminado.

O fim da trilogia
Passada a “Luta do Século” e uma revanche de baixo índice técnico vencida por Muhammad Ali, os dois ícones do boxe voltaram a se enfrentar em 1975, nas Filipinas, para por um fim à eterna rivalidade. A trilogia acabou com o combate mais eletrizante da história da categoria – e um dos mais violentos também.

Confira ainda: Campeão mais velho do boxe perde após golpe polêmico

Ali chegou a comparar o duelo com uma experiência próxima à morte, mas levou a melhor quando o corner de Joe Frazier jogou a toalha e decretou o fim da luta no 14º round.null

A medalha de ouro olímpica
Por incrível que pareça, Joe Frazier não era dos boxeadores mais badalados no início da carreira. Longe disso. Mas a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio-1964 mudou essa história. Ao superar um gigante russo de quase 2m na final, o norte-americano ganhou os holofotes e iniciou a conhecida trajetória como algoz dos “grandões” do boxe. O curioso é que Frazier ainda venceu o combate escondendo uma fratura na mão revelada só após a conquista.

 A coleção de títulos
Após uma série 19 vitórias consecutivas, Frazier conquistou em 1968 o título dos pesados da Comissão Atlética de Nova York, que estava entre os de maiores prestígios na época. Depois, ele manteve a sequência conquistando o título do Conselho Mundial de Boxe, da Associação Mundial e da revista “O Ringue”.

Foreman treme as pernas, mas vence
Em 1973, Frazier e George Foremam protagonizaram outro aguardado confronto de pesados. Anos após o duelo, Foreman revelou que estava com tanto medo de Frazier, que partiu para o ataque com tudo para não mostrar seu receio no meio do combate.

“Todo lutador tem que encarar seu adversário olhando nos olhos. Quando o cara olha pra baixo, é sinal que você irá vencer a luta. Só que eu não queria que ele olhasse pra baixo, se não veria que eu estava com as pernas tremendo. E por isso parti pra cima dele, porque estava com medo”, afirmou o lutador, que teve êxito e impôs a primeira derrota da carreira de Frazier com o nocaute no segundo round.

O estilo agressivo e o gancho de esquerda
Joe “Smokin” Frazier não ficou marcado apenas pelos títulos e pela histórica rivalidade com Muhammad Ali. O campeão pesado também é considerado uma lenda pelo estilo agressivo e sempre feroz. Frazier nunca parava de ir para o ataque e sempre buscava o fim da luta. Sua principal arma era o gancho de esquerda, responsável pela maioria dos 27 nocautes que conseguiu na carreira. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.