Tamanho do texto

Éric Gagné fez a revelação em sua biografia referindo-se ao período em que atuou pelo Los Angeles Dodgers, entre 1999 e 2006

EFE

Éric Gagné em ação pelo Los Angeles Dodgers
Getty Images
Éric Gagné em ação pelo Los Angeles Dodgers

O pitcher canadense Éric Gagné trouxe a público uma denúncia que promete mexer com o beisebol norte-americano. Ele afirmou que a maioria dos seus ex-companheiros dos Los Angeles Dogders, equipe pela qual jogou entre 1999 e 2006, se dopavam.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Vencedor do prêmio Cy Young, de melhor arremessador da Liga Nacional em 2004, Gagné fez a revelação em sua biografia, apontando que o uso de substâncias na equipe era algo "normal" e generalizado no elenco.

"Estava intimamente consciente com o que acontecia e posso dizer que 80 % dos jogadores dos Dodgers utilizavam substâncias proibidas", detalha. Gagné, contudo, não se eximiu de culpa, afirmando que tomou hormônio de crescimento durante três anos no final de sua carreira. "Foi o suficiente para arruinar minha saúde, manchar minha reputação e lançar uma sombra sobre as grandes atuações da minha carreira", afirma.

Leia também: Contraprova confirma presença de cocaína em exame de jogador

Depois de deixar a equipe em 2006, Gagné assinou contrato para voltar a atuar pelos Dodgers, pelas ligas menores, em 2010, mas acabou dispensado logo depois. Sua última participação na MLB aconteceu em 2008, pelo Milwaukee Brewers. Ainda em 2010, admitiu pela primeira vez o uso de doping. 

E mais:  Dilma assinará MP para regulamentar órgão antidoping para os Jogos de 2016

No livro, o pitcher não revela os nomes dos jogadores da equipe que se dopavam. A MLB implementou testes antidoping mais rigorosos em meados de 2006. Desde então, os jogadores estão sujeitos a mais exames, inclusive nas férias e pré-temporada, não apenas durante a realização do campeonato.