Após ‘ano médio’, Fabiana Murer sonha com bicampeonato mundial em 2014

Por Marcelo Laguna - iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Quinta colocada no Mundial de Moscou, a recordista sul-americana do salto com vara planeja buscar na próxima temporada sua segunda medalha de ouro em pista coberta

Ivan Sekretarev/AP
Fabiana Murer ficou apenas em quinto lugar no salto com vara no Mundial de Moscou

A temporada de 2013 não está definitivamente entre as mais marcantes na carreira de Fabiana Murer. Após sofrer com uma contusão no Tendão de Aquiles esquerdo, que a afastou de várias competições, a recordista sul-americana no salto com vara viu frustrado o sonho de faturar sua segunda medalha de ouro em Mundiais, em Moscou, ao terminar a final apenas em quinto lugar. “Se eu fizer um balanço, posso dizer que 2013 foi um ano médio”, admite a própria Fabiana, após ter vivido um verdadeiro inferno em 2012, com a dramática eliminação nas Olimpíadas de Londres, ainda na fase de qualificação, onde estava cotada para brigar pelo ouro.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros atletas

Agora, Fabiana já começou o trabalho de preparação para 2014 e coloca como sua principal meta outro bi, desta vez no Mundial em pista coberta, que está marcado para março, em Sopot, na Polônia. Em 2010, ela tornou-se a primeira brasileira campeã mundial indoor, com a vitória em Doha, no Catar, quando saltou 4m80. Ela não pôde defender o título em 2012, em Istambul (Tur), pois optou em não disputar a competição, poupando-se para as Olimpíadas de Londres. Quem levou o ouro na ocasião foi a russa Elena Isinbayeva, que havia ficado apenas em quarto lugar em Doha.

E mais: Fabiana Murer fica em quinto na final do Mundial; Yelena Isinbayeva leva o ouro

Até por conta dos efeitos que a contusão lhe trouxeram na temporada deste ano, Fabiana Murer prefere fazer uma preparação bem meticulosa de olho em 2014. “Graças à lesão no tendão, eu acabei perdendo 1 kg, só que isso representou perda de massa muscular para mim”, disse a saltadora. Na prática, isso influenciou negativamente em sua mecânica do salto.

Veja também: Lista do Bolsa Pódio no atletismo reflete boa fase do salto com vara

“Minha volta às competições precisou ser gradativa e isso atrapalhou meu ritmo de saltos”, disse Fabiana, que apenas mais próximo ao Mundial de Moscou começou a se sentir melhor na prova. “Consegui recuperar a minha constância nos saltos apenas nas duas últimas provas antes do Mundial. Porém, foi no final da temporada que eu realmente consegui encontrar meu ritmo ideal”, explica.

Fabiana Murer só não quer creditar ao seu problema físico como o único responsável pelo quinto lugar obtido em Moscou. “Sinceramente, acho que fiz tudo certo, mas pequenos detalhes técnicos acabaram influenciando no meu resultado”, diz a saltadora brasileira. Ela usa como exemplo o último salto, que causou sua eliminação na prova. “Se o sarrafo estivesse um pouco mais próximo, talvez eu conseguisse ultrapassá-lo e seguir na competição. Mas foram detalhes. Fiquei satisfeita com meu desempenho”, afirmou.

Espírito Olímpico: O fiasco brasileiro no Mundial de atletismo e a miopia dos críticos 

Fabiana terminou o Mundial com a marca de 4m65, bem abaixo de seu melhor resultado, 4m85, com o qual conquistou o título mundial em 2011, em Daegu, na Coreia do Sul, sua melhor temporada na carreira. Este ano, o melhor resultado da brasileira foi obtido no Meeting de Beckum (Alemanha), com 4m75.

Além de brigar por um inédito bi mundial indoor na Polônia, Fabiana Murer também traça como meta justamente superar a barreira dos 4m85 em pista ao ar livre, “Quero ver se finalmente consigo sair deste 4m85. Quem sabe 4m90?”, brinca a brasileira. Em pista coberta, o melhor resultado na carreira de Fabiana Murer ocorreu em 2010, ano do título mundial, quando saltou 4m82 no Meeting de Birmingham (Ing).

Confira fotos da carreira de Fabiana Murer

Fabiana Murer salta no Mundial de atletismo, em Moscou. Ele terminou em quinto lugar. Foto: Getty ImagesFabiana Murer se decepciona com mais um erro na prova do salto com vara em Londres, quando não passou da qualificação. Foto: EFEFabiana Murer tentou 4,55m e falhou três vezes. Na última, desistiu no meio da corrida. Com isso, nem avançou à final olímpica. Foto: EFEFabiana Murer e Elena Isinbayeva eram apontadas como favoritas ao ouro, mas ambas vacilaram em Londres. Foto: EFEFabiana Murer não conseguiu vaga na final do salto com vara. Foto: David Phillip/APFabiana Murer durante sua preparação para as Olimpíadas, em Fórmia, na Itália. Foto: DivulgaçãoFabiana Murer começou a temporada disputando o GP de São Paulo, ficando em segundo lugar, com 4,50 m. Foto: Gazeta PressFabiana Murer salta para ganhar a medalha de ouro no Mundial de Daegu, na Coreia do Sul. Foto: Getty ImagesFabiana Murer conquistou primeira medalha de ouro para o Brasil na histórias dos Mundiais. Foto: APFabiana Murer fez história ao conquistar o ouro no Mundial de Atletismo em Daegu (Coreia do Sul). Foto: AFPFabiana Murer exibe a medalha do Mundial e a barra de ouro que ganhou da BM&F, clube pelo qual compete. Foto: Gazeta PressFabiana Murer na final do salto com vara no Pan, quando ficou com a medalha de prata. Foto: VipcommFabiana recebe homenagem do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Foto: Guilherme TosettoFabiana Murer terminou a temporada de 2012 em terceiro lugar no ranking mundial. Foto: Marcelo Ferrelli/CBAtFabiana Murer e o ucraniano Vitaly Petrov, ex-técnico de Elena Isinbayeva e que trabalha agora com a brasileira. Foto: DivulgaçãoApós vencer o GP de Monaco em 2010, Fabiana Murer é convidada para sentar-se na mesa do príncipe Albert. Foto: DivulgaçãoFabiana Murer não escondeu a frustração em Pequim, após algumas das suas varas terem sumido. Ela terminou a competição em 10º lugar. Foto: Getty ImagesFabiana Murer em seus primeiros treinos na pista do Ibirapuera, no final dos anos 90. Foto: DivulgaçãoAos 14 anos, Fabiana Murer dividia seu tempo entre o salto com vara e a ginástica artística. Foto: DivulgaçãoFabiana Murer, aos 14 anos, em sua primeira competição, ainda em Campinas, quando ficou em segundo lugar. Foto: DivulgaçãoTímida e com lacinho na cabeça, Fabiana Murer comemora seus seis anos. Foto: Arquivo pessoal








Leia tudo sobre: Fabiana MurerAtletismoSalto com Vara

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas