Bolt quer 'cair no samba' em 2016 e se esquiva sobre doping de Armstrong

Homem mais rápido do mundo esteve no Rio de Janeiro e disse que pretende ter aulas de samba para não fazer feio em 2016

Anderson Dezan - iG Rio de Janeiro | - Atualizada às

O sempre animado e descontraído Usain Bolt, o homem mais rápido do mundo, esteve no Rio de Janeiro, nesta terça, para participar de eventos oficiais das Olimpíadas de 2016. O jamaicano realizou um sobrevoo de helicóptero pelas praias, assim como as obras do Maracanã e pelo Engenhão, local onde serão disputados as competições de atletismo nos Jogos do Rio. Bolt também visitou o Cristo Redentor, fez fotos com a sua pose característica e disse que deseja aprender a sambar antes das Olimpíadas.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

"Quero voltar ao Rio antes de 2016, de férias, para conhecer e passear. Esse país é fantástico, as pessoas são super agradáveis e me receberam muito bem. Adoraria aprender a sambar e sempre assisti samba e se tiver tempo, vou tentar ter algumas aulas", brincou Bolt, vencedor de três medalhas de ouro nas Olimpíadas de Londres.


Usain Bolt esteve ao lado do prefeito reeleito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, e os dois até simularam um duelo na pista de atletismo da Vila Olímpica do Mato Alto. Além disso, o atleta foi recebido pelas crianças que participam do projeto realizado no local.

O simpático velocista jamaicano também leva alguns assuntos a sério. Quando questionado acerca do polêmico caso de doping do ciclista, Lance Armstrong, banido do esporte, Bolt preferiu se esquivar e elogiar a IAAF (Federação Internacional de Atletismo).

Leia mais:  Bolt chega ao Rio e faz passeio de helicóptero por pontos turísticos

"Não tenho como opinar, porque atletismo e ciclismo são esportes muito diferentes. O doping é um grande problema, a agência mundial antidopoing esta fazendo um grande trabalho e todo mundo deve ter muito cuidado. O que posso dizer é que a minha federação  (IAAF) está fazendo um ótimo trabalho nesse quesito".

Divulgação/Prefeitura do Rio
Bol e o prefeito Eduardo Paes apostam corrida em pista de atletismo, no Rio de Janeiro

Houve um momento em que Bolt se sentiu desconfortável e encabulado durante a coletiva. Isso porque foi perguntado se era tão rápido na cama quanto nas pistas. "Nunca ninguém reclamou de mim na cama, acho que vou bem", respondeu o velocista, visivelmente envergonhado.

Bolt descarta salto em distância e fala sobre aposentadoria após 2016
O jamaicano ainda praticamente descartou a possibilidade de participar da prova do salto em distância durante os Jogos de 2016, pois seu técnico acredita que o esforço excessivo pode gerar lesões.

"A ideia era participar dessa prova antes dos Jogos Olímpicos, para se preparar bem, mas o meu técnico disse que o salto em distância pode gerar problemas nos joelhos e quadril. Por isso, talvez não faça".

Bolt também falou sobre a sua aposentadoria após os Jogos de 2016 e cogitou tentar a sorte no futebol, esporte em que é torcedor do Manchester United. "Adoraria jogar futebol quando encerrar a carreira. Já joguei alguns jogos beneficentes. Após o Rio posso me aposentar e tentar algo na área, acho que seria uma boa coisa", concluiu o homem mais rápido do mundo.

    Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.
    Leia tudo sobre: usain boltatletismorio 2016

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG