Brasileiros com deficiências intelectuais estavam na Grécia e se destacaram no futebol e no tênis de mesa

Divulgalção
Delegação brasileira de deficientes exibe as medalhas
Os 49 atletas brasileiros que disputaram os Jogos Olímpicos para pessoas com deficiências intelectuais voltaram da Grécia com as malas lotadas de medalhas. Ao todo foram 43, sendo 18 de ouro, 12 de prata e 13 de bronze. A delegação tinha sido apadrinhada por Romário e Zico antes dos Jogos .

No futebol o Brasil fez bonito e foi o campeão das modalidades com 7 e 11 jogadores. Mas, como destacou Paulo Fonseca, presidente da Special Olympics Brasil, o país foi bem também em outros esportes: "Com o tênis de mesa conseguimos mostrar ao mundo que o Brasil vai muito além do futebol. Somos capazes de desenvolver outras artes com muita qualidade", comemorou.

O grande destaque do tênis de mesa foi a atleta Grace Cristina, a única mulher de toda a América Latina a participar da competição nesse esporte. Ela conquistou duas medalhas de prata.

Outra modalidade que obteve êxito foi a natação. Foram dois ouros, uma prata e dois bronzes. O destaque ficou por conta da atleta Cristielen de Souza, que conquistou dois pódios nos 25 metros livre e costa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.