O ex-jogador de futebol americano havia sido condenado a 33 anos de prisão por roubo a mão armada e sequestro. Ele conseguiu a liberdade condicional

O ex-jogador de futebol americano O.J. Simpson, de 70 anos, conseguiu o benefício da liberdade condicional neste domingo. Segundo informações da agência de notícias Ansa, ele cumpriu nove anos da pena a qual foi condenado em 2008 e deixou a penitenciária de Lovelock, em Nevada, nos Estados Unidos, pouco depois da meia-noite deste domingo (01). 

Leia também: Polêmica de masturbação na prisão poderia custar liberdade de O.J. Simpson

O.J. Simpson deixou o centro de detenção em Nevada, nos Estados Unidos, nesta madrugada
Divulgação
O.J. Simpson deixou o centro de detenção em Nevada, nos Estados Unidos, nesta madrugada


O.J. Simpson havia sido condenado a 33 anos de prisão por roubo a mão armada, sequestro e formação de quadrilha. Ele invadiu um cassino em Las Vegas e, na época, alegou que seu objetivo era apenas impedir a comercialização de objetos esportivos que lhe pertenciam. As autoridades locais acabaram condenando o ex-jogador neste caso. 

Leia também: Viúva processa NFL e Patriots por suicídio de ex-jogador colega de Tom Brady

Liberdade condicional

Preso há nove anos, Simpson tinha conseguido a condicional em julho por causa do histórico de bom comportamento na prisão, mas acabou sendo solto apenas neste 1º de outubro. O ex-jogador participou, por meio de videoconferência, de uma audiência no meio do ano e disse que "nada disso teria acontecido se ele tivesse mais bom senso". Quatro membros da comissão que analisou o pedido de liberdade votaram a favor do benefício. 

Simpson foi libertado neste domingo e o horário escolhido foi a madrugada para evitar tumultos, segundo o porta-voz do centro de detenções que ele estava. De acordo com o porta-vez, a ideia era evitar chamar a atenção da imprensa e garantir a segurança dos cidadãos.


Segundo um amigo de longa da data ao canal "NBC News", o ex-atleta da NFL deve continuar morando em Nevada e está ansioso jogador golfe, rever amigos e passar tempo ao lado da família. 

Leia também: Após críticas de Trump, atletas da NFL protestam durante hino dos EUA

Histórico do ex-atleta

Esse não o envolvimento mais emblemático de Simpson com a polícia. Nos anos 90, ele chegou a ter seu nome ligado os assassinatos da ex-esposa Nicole Brown e do amigo Ronald Goldman, que ocorreram em 1994. Ambos foram mortos a  facadas, mas a arma do crime nunca foi encontrada. Em 1995, o ex-jogador de futebol americano foi absolvido dos assassinatos. 

Na época o caso foi intensamento noticiado pela imprensa dos Estados Unidos e do mundo e tudo isso acabou dividindo a opinião pública norte-americana. Os crimes e a história de O.J. Simpson acabaram virando um documentário que venceu o Oscar na categoria em 2017. A obra recebeu o título de "O povo contra O.J. Simpson". 


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.