iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

30/04 - 11:44

Relembre a trajetória de Jadson André, campeão da etapa brasileira do Mundial de surfe

Brasileiro enfrentou oponentes de peso com tranquilidade e muita garraa para alcançar sua primeira vitória em uma etapa da elite do surfe mundia

Felipe Carneiro

Jadson André, 20 anos, surfista de Natal (RN), disputou pela primeira vez uma etapa do WCT (World Championship Tour) e fez o Brasil vibrar após 12 anos sem uma conquista da etapa brasileira de surfe mundial. A última vez que um brasileiro venceu em casa foi com teve Peterson Rosa, no Rio de Janeiro, em 1998. Agora, o iniciante na elite do surfe demonstrou muita perfeição em sua manobra de entrada, o “aéreo reverse”, que garantiu sua passagem pela maioria das fases que competiu.

Para chegar ao sonhado título da perna brasileira, Jadson enfrentou na final o surfista mais experiente da atualidade e nove vezes do WCT, o americano Kelly Slater. O brasileiro manteve a calma e demonstrou um surfe muito apurado, principalmente em manobras de evolução, caso do “aéreo reverse”. Slater comentou que, apesar de ter perdido a disputa, se sentiu confortável com a vitória do surfista da casa: “Acho que todos aqui imaginariam uma final contra Mick Fanning ou Joel Parkinson, mas estou feliz pelo Jadson ter vencido em casa. Certamente este é um dia que ele jamais vai esquecer”.

Felipe Carneiro
Jadson André executa o "aéreo reverse", manobra que valeu o título em Santa Catarina

Ao se classificar para as oitavas-de-final, após derrotar o americano Damien Hobgood, Jadson teve uma participação inesquecível contra o australiano Luke Munro, em uma bateria na qual foram descartados mais de 16 pontos pelo brasileiro, o que o faria vencer com facilidade muitas outras etapas. O potiguar não tomou conhecimento de seu oponente e veio empolgado com os gritos da torcida, conseguindo arrancar um aéreo por onda, às vezes até dois em uma mesma.

Nas oitavas, o placar final apontou 16.83 a 10.83 para Jadson e o classificou para as quartas-de-final, quando viu sua coroa ser ameaçada pelo taitiano Michel Bourez, de larga experiência em todos os tipos de onda. Bourez transformou a bateria em um sofrimento para os brasileiros ao liderá-la por muitos minutos, principalmente porque as ondas haviam baixado e Jadson não estava conseguindo mostrar sua habilidade. Nos últimos dez minutos veio a reação do brasileiro, ao escolher bem o posicionamento e surfar com muita vontade, alcançando a maior nota da corrida para a semifinal e vencendo com uma pequena margem de 0.23 na soma de notas.

Antes de correr a final contra Kelly Slater, Jadson fez uma das melhores baterias de toda a etapa de Santa Catarina ao enfrentar o americano Dane Reynolds. Os dois surfistas são especialistas em aéreos e, com as condições oferecidas pelo mar da Praia da Vila, esta manobra foi a que mais se destacou durante a competição. Os primeiros minutos soaram como vitória certa e folgada do brasileiro, fato comentado até por Reynolds: “Ele (Jadson) surfou os primeiros cinco minutos como se eu nem estivesse lá”. Quando entrou no jogo, o americano encaixou batidas fortíssimas e aéreos, chegando a ficar na frente do brasileiro em alguns momentos. O alívio para Jadson veio somente na última onda surfável do tempo limite da bateria, quando recebeu a nota 9, segundos após Reynolds ter recebido 8.5 e reassumido a liderança.

Com o primeiro lugar conquistado em Santa Catarina, o surfista brasileiro pulou de 13° colocado do Mundial de surfe para dividir o 4° lugar com o bicampeão Mick Fanning, após três etapas das dez que serão disputadas no WCT 2010.


Leia mais sobre: surfe Jadson André Kelly Slater

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Felipe Carneiro

Jádson André

Jadson André
Brasileiro derrotou Kelly Slater na final e fez a festa da torcida local em Santa Catarina

Topo
Contador de notícias