iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

24/09 - 17:17

Nomes de peso na Espanha apoiam projeto olímpico de Madri
Alberto Ruiz-Gallardón, prefeito de Madri desde maio de 2003, está a seis anos dedicando boa parte de seus esforços para conseguir que sua cidade receba os Jogos Olímpicos

EFE

MADRI (Espanha) - Para se classificar entre as quatro cidades finalistas a sediar os Jogos Olímpicos de 2016 - ao lado de Rio de Janeiro, Tóquio e Chicago -, Madri contou com o apoio de figuras importantes da política e do mundo esportivo da Espanha.

Alberto Ruiz-Gallardón, prefeito de Madri desde maio de 2003, está a seis anos dedicando boa parte de seus esforços para conseguir que sua cidade receba os Jogos Olímpicos, primeiro a edição de 2012, que acabou nas mãos de Londres, e agora a de 2016, em uma tarefa que sempre qualificou como seu objetivo "mais importante".

Nascido em Madri, no dia 11 de dezembro de 1958 e formado em Direito, Ruíz-Gallardón terá passado dois terços de sua vida na política quando acontecerem as eleições municipais em 2011, às quais já confirmou que se candidatará conquistando ou não o direito de sediar os Jogos Olímpicos.

Militante do Partido Popular (PP) desde os 18 anos e vencedor por maioria absoluta das eleições de 2003 e das seguintes, seus mandatos foram marcados, pelo menos até que a crise e o endividamento reduzissem seus orçamentos, pela realização de importantes projetos de infraestrutura, como a construção de novas linhas de metrô.

Prefeito de Madri quando aconteceram os atentados terroristas de 11 de março de 2004, foi um dos encarregados de apresentar, em 6 de julho de 2005, a candidatura olímpica de Madri para 2012 na Assembleia do Comitê Olímpico Internacional (COI), que acabou sendo rejeitada, e um ano depois anunciou que a cidade voltaria a concorrer para 2016.

Outro nome de peso da candidatura da capital espanhola é Mercedes Coghen Alberdingk-Thijm, campeã olímpica de hóquei nos Jogos de Barcelona, em 1992, que foi a imagem de Madri 2016 durante os últimos três anos, após sua escolha, em outubro de 2006, como conselheira e delegada da candidatura.

A candidatura de Madri também contou desde o começo com o apoio de Alejandro Blanco, presidente do Comitê Olímpico Espanhol (COE), que assumiu o organismo pouco depois da derrota na candidatura para 2012 e que desde o primeiro momento defendeu que a cidade voltasse a tentar sediar os Jogos na edição seguinte.

A capital espanhola teve ainda como forte aliado o político Jaime Lissavetzky, secretário de Estado para o Esporte desde abril de 2004, e que representa o apoio da alta política espanhola à candidatura de Madri.

Protagonista da derrota para sediar os Jogos de 2012, Lissavetzky é visto pelos espanhóis como um representante da aposta do Governo na candidatura de 2016, traduzida nas garantias do Executivo ao projeto, que abrangem um investimento total de 15,435 bilhões de euros.

Já Juan Antonio Samaranch é visto como o vínculo entre Madri e o COI, organismo do qual é membro desde 2001.

Filho do presidente de honra do COI e membro espanhol do organismo, leva aos espanhóis a esperança de fortalecer a candidatura de Madri, que respaldou desde sua gestação para os Jogos de 2012 e que não deixou de encorajar nesta nova tentativa.


Leia mais sobre: Espanha Madri 2016

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias