iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

16/09 - 17:00

Com disputa entre clubes, Match Race Brasil começa nesta quinta no Rio

Competição barco contra barco marca a volta de Torben Grael, do Rio Yacht Club, às regatas na Baía de Guanabara

Gazeta Esportiva

RIO DE JANEIRO - O Iate Clube do Rio de Janeiro recebe desta quinta-feira a domingo as disputas do Match Race Brasil, competição barco contra barco, que tem uma grande novidade em 2009: o confronto entre clubes náuticos. As regatas serão disputadas a partir das 13 horas (horário de Brasília).

O evento marca ainda a volta de Torben Grael, do Rio Yacht Club, às regatas na Baía de Guanabara, depois de conquistar o título da Volvo Ocean Race 2008/2009.

O torneio carioca recebeu a inscrição de 12 equipes, sendo uma da Argentina (Club Nautico Mar Del Plata) e outra do Uruguai (Yacht Club Uruguayo). Os outros dez participantes são do Brasil e estão assim divididos por cidades: Rio de Janeiro (Iate Clube do Rio de Janeiro, Marina da Glória e Escola Naval), Niterói (Rio Yacht Club e Clube Naval Charitas), Búzios (Búzios Vela Clube), São Paulo (Yacht Clube de Santo Amaro e São Paulo Yacht Club), Florianópolis (Iate Clube de Santa Catarina) e Porto Alegre (Veleiros do Sul).

A competição reunirá muitos velejadores experientes. O destaque sem dúvida é Torben Grael, dono de cinco medalhas olímpicas e comandante do barco Ericsson 4, campeão da tradicional regata de volta ao mundo. Outros campeões da Volvo no Match Race são Horácio Carabelli (Iate Clube de Santa Catarina) e João Signorini (ICRJ).

André Bochecha, timoneiro do Iate Clube de Santa Catarina, e Marcelo Ferreira, do Rio Yacht Club, também participaram da Volvo, mas no barco Delta Lloyd. Os destaques ficam ainda por conta dos especialistas em match race como Henrique Haddad (Marina da Glória), Daniel Glomb (Veleiros do Sul) e Juan Grimaldi (Club Nautico Mar Del Plata).

Torben Grael é tricampeão do Match Race Brasil (2003, 2004 e 2005) e campeão da Louis Vuitton Cup de 2000, que garantiu a passagem do Luna Rossa para a final da America's Cup, o mais antigo torneio náutico do mundo, disputado no sistema barco contra barco.

"Tenho um carinho especial pelo Match Race Brasil porque foi a partir dessa competição que participamos da Volvo de 2005/2006, com o Brasil 1, e depois fui ser comandante do Ericsson 4", lembrou o velejador.

O match race é uma modalidade com regras muito simples e nada semelhantes às normais de flotilha, quando diversas embarcações participam da mesma regata. A especialidade é considerada um espetáculo, na medida em que as suas regatas - curtas - são disputadas o mais próximo possível da orla e porque reúne apenas dois barcos com características idênticas em cada confronto.

A destreza na largada, as opções táticas e o entrosamento da tripulação são considerados fatores determinantes para a vitória. Inspirado nas disputas da America's Cup e na sua classificatória, a Louis Vuitton, o match race ganhou uma chancela muito especial. Afinal, na Olimpíada de Londres, em 2012, será disputada pela primeira vez a categoria match race feminino, que substituirá a classe Yngling, pouco popular fora da Europa.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias