iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

03/07/2009 - 22:20

Em noite de gala, Brasil garante vaga na decisão
Com direito a um belíssimo gol de chapéu do ala Falcão, os donos da casa arrasaram os rivais por 12 a 0, em partida disputada na noite desta sexta-feira em Goiânia

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - Um verdadeiro massacre verde-amarelo. É assim que se pode definir o confronto entre Brasil e Romênia, válido pela semifinal do Grand Prix de futsal. Com direito a um belíssimo gol de chapéu do ala Falcão, os donos da casa arrasaram os rivais por 12 a 0, em partida disputada na noite desta sexta-feira em Goiânia.

Na decisão do torneio, programada para às 10h30 (horario de Brasília), os brasileiros encaram o Irã, que passou pela República Tcheca por 4 a 1 na decisão dos pênaltis. No tempo regulamentar, a igualdade foi de quatro gols, em partida emocionante. Nas quartas de final, os iranianos também precisaram os tiros livres para superar a Ucrânia.

O goleador do Brasil esta noite foi o fixo Ciço, com três gols. Ari, por sua vez, apareceu para a torcida com dois, enquanto Carlinhos, Valdin e Falcão marcaram um cada.

Adotando uma postura incomum, o técnico da Romênia, o espanhol Sito Rivera, partiu para o desespero logo nos minutos iniciais do jogo, usando o goleiro linha (estratégia em que se coloca um jogador no lugar do arqueiro com a vantagem de que ele pode pegar a bola com as mãos dentro da área). Resultado? Com menos de 10 minutos, o Brasil já estava vencendo por 3 a 0.

O primeiro gol saiu logo aos 35 segundos de jogo. Após cobrança de lateral de Vinícius, Ciço recebeu sozinho à meia-distância e bateu no canto direito do goleiro Rizan, que mal se mexeu. A Romênia então surpreendeu e, com menos de dois minutos, colocou o goleiro linha em jogo. E quase pagou caro por isso de cara, já que Wilde chutou do campo de defesa e quase fez o segundo.

Rivera então voltou à formação inicial, mas somente até Ari marcar o segundo, Aos 7min30s, Falcão tocou para Carlinhos, que obrigou o arqueiro rival a fazer grande defesa. Logo em seguida, lance semelhante, que gerou um escanteio, de onde saiu um gol do camisa quatro do Brasil.

Novamente Rivera optou pelo goleiro linha e, desta vez, os visitantes não escaparam: de seu campo, Ari ampliou: 3 a 0 com nove minutos de jogo. Com tamanha desigualdade, os europeus decidiram partir para cima e quase conseguiram estufar as redes de Franklin, mas o chute do fixo Buduca bateu na trave. A resposta verde-amarela veio rápida e, em uma boa troca de passes, Vinícius quase conseguiu o seu, mas o goleiro defendeu.

Logo em seguida Ciço não perdoou e, em uma um chute de meia distância, ampliou para 4 a 0. Faltando 3min39s para o final da primeira etapa, Carlinhos marcou mais um para os donos da casa. Na volta, o Brasil roubou a bola rapidamente e, em lançamento de Ari, Lukaian acertou a trave. Mas o melhor estava reservado para pouco antes do fim do primeiro tempo: cara a cara com Rizan, Falcão chapelou o goleiro rival, para delírio da torcida no Goiânia Arena.

O sétimo veio justamente do camisa sete do Brasil, o capitão Vinícius, que abriu o marcador na segunda etapa ao, entre três adversários, ainda arrumar um espaço para balançar a meta romena.

Em cobrança de falta, Ciço marcou o oitavo com 9min28s. O embalo seguiu e, menos de dois minutos depois, Valdin bateu alto de dentro da área para fazer 9 a 0. Falcão, de longe, ainda aproveitou rebote para marcar o décimo. Menos de 30 segundos depois, mais um do camisa 12.

E quem pensou que o show havia terminado, se enganou. A 22 segundos do fim, Wilde recebeu sozinhou na pequena área, matou no peito e tocou para Lukain, que só empurrou para o gol, encerrando a noite de gala dos campeões mundiais ouvindo gritos de "Olé". 


Leia mais sobre: Seleção brasileira de futsal Grand Prix de futsal

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias