iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

01/12 - 18:16

Secretário rechaça reforma para ter Maria Lenk em final olímpica

Exigências do Comitê Olímpico Internacional (COI) tornaram inviável a utlização do complexo pelo Rio

Gazeta Esportiva

RIO DE JANEIRO - Considerado um dos melhores palcos construídos para os Jogos Pan-americanos de 2007, o Parque Aquático Maria Lenk não será utilizado pelo Rio de Janeiro para as finais dos torneios de natação, caso a cidade vença a batalha contra Tóquio (Japão), Chicago (Estados Unidos) e Madri (Espanha) e seja escolhida a sede dos Jogos Olímpicos de 2016.

Nesta segunda-feira, Ricardo Leysen, membro do Ministério do Esporte e secretário nacional da candidatura do Rio de Janeiro às Olimpíadas, explicou que as exigências do Comitê Olímpico Internacional (COI) tornaram inviável a utlização do complexo para sediar as disputas por medalhas na natação.

'O Maria Lenk pode abrigar várias etapas, mas não as finais. O COI está exigindo espaços para 15 mil pessoas no mínimo e não há espaço no Brasil para um ginásio com mais de 12 mil espectadores em eventos de natação. Não faz sentido uma obra dessa grandeza', argumentou.

Diante deste cenário, Leysen revelou que o Rio de Janeiro está se apressando para definir qual seria o novo local das finais das provas de natação, pois precisa apresentar o caderno de encargos totalmente pronto e com os pontos de cada evento definidos até fevereiro de 2009.

A saída, segundo o secretário nacional da candidatura carioca, seria a construção de um ginásio temporário. 'Podemos fazer uma estrutura de qualidade, mas provisória, ou reformar alguma já existente. Estamos avaliando qual decisão será tomada ou qual lugar poderá ser usado para receber as finais da natação', avisou.

Leysen descartou, no entanto, assumir como 'erro de planejamento' o fato de não ter adequado o Parque Aquático Maria Lenk às exigências do Comitê Olímpico Internacional. 'Estávamos realizando um Pan-americano, não uma Olimpíada. Por que tudo tinha que ter padrão olímpico?', questionou.

'O problema é que, depois dos Jogos de Pequim, as federações internacionais passaram a pressionar exigindo o padrão que foi encontrado na China, mas o Pan-Americano foi extremamente bem planejado e elogiado por órgãos internacionais', concluiu.
 


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias