iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

25/11 - 16:39

Presidente da CBAt se mostra otimista quanto à medalha de ouro

"Caso se confirmem (as confissões do ex-corredor Tim Montgomery), acredito que esta medalha será dada ao Brasil"

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - A confissão do ex-corredor norte-americano Tim Montgomery, que admitiu ter usado substâncias ilícitas nas Olimpíadas de Sydney-2000, quando participou do revezamento 4x100, conquistando a medalha de ouro, criou a expectativa de que a equipe brasileira, dona da prata na ocasião, herde o primeiro lugar no pódio.

Diante desta possibilidade, o presidente da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), Roberto Gesta de Mello, afirmou que, desde que comprovadas as declarações de Montgomery, acredita que são grandes as chances da medalha de ouro ficar com o Brasil.

“No momento, não podemos tomar nenhuma atitude. Temos que esperar para ver em que circunstância se deram as declarações de Montgomery, se foram gravadas, por exemplo. Mas caso se confirmem (as confissões do norte-americano), acredito que esta medalha será dada ao Brasil”, apontou o dirigente em contato telefônico com a GE.Net.

De fato, as declarações de Montgomery, que atualmente está preso pelo envolvimento com tráfico de drogas e por estelionato, foram gravadas pela emissora HBO.

“Eu tenho uma medalha de ouro e eu não a conquistei com minha própria habilidade”, admitiu o ex-atleta.

Segundo Roberto Gesta de Mello, a partir do momento em que forem apuradas corretamente as declarações de Montgomery, o processo para que o Brasil herde a medalha de ouro será natural.

“O COB e a CBAt devem fazer um pronunciamento oficial, mas, pelo o que conheço da IAAF (Associação Internacional de Atletismo) será um processo normal. Não precisaremos de mais provas, porque o Montgomery tornou público que usou uma substância ilícita, foi uma admissão de culpa”.

E o dirigente garante que as entidades brasileiras acompanharão de perto o desenrolar da polêmica. “Nós estamos atentos. Afinal é uma questão de justiça, esta medalha pertence ao Brasil”, afirma Mello.


Leia mais sobre: atletismo Olimpíada

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias