iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

10/11 - 13:46

Olimpíada “caipira” começa nesta segunda com atletas consagrados

Disputa será realizada até 23 de novembro, com a participação de 17,6 mil pessoas, em Piracicaba

Gazeta Esportiva

PIRACICABA - Maior e mais tradicional evento envolvendo esportes amadores no Brasil, os Jogos Abertos do Interior terão a sua 72ª edição aberta nesta segunda-feira, em Piracicaba. A disputa, que se autodenomina “Olimpíada caipira”, será realizada até 23 de novembro, com a participação de 17,6 mil pessoas, entre atletas e dirigentes esportivos, competindo em 26 modalidades.

E engana-se quem pensa que apenas atletas sem grandes resultados participam da disputa. Somente no vôlei feminino serão sete medalhas de ouro olímpicas em quadra, através de Fofão, Mari e Sheilla, que defendem o São Caetano, além de Paula Pequeno, Carol Albuquerque, Sassá e Thaísa, que jogarão com as cores do Osasco.

Além das meninas do vôlei, a organização do evento garante a presença de nomes como o bicampeão da maratona de Nova York Marílson dos Santos, da saltadora com vara Fabiana Murer, da judoca Edinanci Silva e da lutadora de taekwondo Natália Falavigna, que conseguiu um inédito bronze na China. Com cinco Olimpíadas nas costas, Hugo Hoyama também marcará presença, assim como Sergio Escadinha, líbero da confiança do técnico Bernardinho.

Com uma delegação composta por cerca de 450 atletas, São Caetano terá uma das maiores equipes dentre os 230 municípios inscritos - um crescimento de 20% em relação ao ano passado, quando 191 cidades se inscreveram para os jogos disputados em Praia Grande.

Pensando no futuro da competição e em um maior nível técnico das edições posteriores a deste ano, o governo do Estado de São Paulo promoveu algumas alterações no regulamento. A principal novidade é a criação da segunda divisão, na qual vão competir os melhores colocados da segunda divisão dos Jogos Regionais, por modalidade, categoria e sexo, além daqueles municípios que tiveram boa colocação na primeira Divisão dos Regionais, mas não alcançaram pontuação para entrar na primeira Divisão dos Abertos.

“Com a segunda divisão demos oportunidade aos pequenos e médios municípios de chegarem aos Jogos Abertos porque passam a competir em condições técnicas compatíveis”, explica o coordenador estadual de esportes, Nelson Gil. Até então, cidades menores se uniam a municípios mais fortes a fim de buscar medalhas. “Queremos incentivar ainda mais a formação de atletas e a participação em competições para que cheguem ao alto rendimento”, comenta Terezinha Quintal, chefe do Comitê Dirigente dos Jogos Abertos do Interior deste ano.

O maior vencedor dos Jogos Abertos do Interior é a cidade de Santos, com 25 títulos e 12 vices. A cidade litorânea era praticamente imbatível nas décadas de 40 e 50 tendo conquistado 16 taças neste período. Campinas e Santo André também tiveram seus anos de glória e, recentemente, São Caetano se firmou como o adversário “a ser batido” no evento. De 1997 a 2007, a cidade do ABC perdeu em apenas uma oportunidade, justamente para a sede Santos em 2003.

Os Jogos levam o nome de Baby Barioni (lê-se Babí) em homenagem a um dos criadores da competição. Ex-jogador de basquete, ele deu a idéia ao amigo Manuel Carvalho Lima, presidente da Associação Montealtense. Assim, em 1936, ambos organizaram o Campeonato Aberto do Interior, em Monte Alto, cidade natal dos dois. Participaram apenas equipes de basquete: cinco de São Paulo e uma de Minas Gerais, Uberlândia. O título ficou com os visitantes e Piracicaba, anfitriã dos Jogos deste ano, foi a vice-campeã. Os outros competidores foram Franca, Monte Alto, Olímpia e Mirassol.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias