iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

06/11 - 16:03

Comitê Italiano arquiva outros dois casos de doping de ciclista
Coni decidiu deixar Riccó com a pena de dois anos de suspensão, devido ao positivo para EPO de terceira geração

Gazeta Esportiva

ROMA (Itália) - O Tribunal Antidoping do Comitê Olímpico Italiano (Coni) decidiu arquivar ‘outro dois resultados positivos’ do ciclista italiano Ricardo Riccó referentes à edição deste ano da Volta da França. A entidade tomou esta decisão por considerar que o atleta já foi condenado a dois anos de suspensão por consumo de EPO de terceira geração durante a mesma competição.

O Tribunal aceitou a petição de arquivar os novos acasos depois de ter pedido para que se fiscalizasse o que estabelece o Código da Agênci Mundial Antidoping (Wada). De acordo com a Wada, ‘uma infração das normas antidoping só se considerará segunda infração se a organização antidoping demonstrar que o esportista cometeu uma segunda infração das normas depois de ter recebido a notificação da primeira’.

Com base nisso, o Coni decidiu deixar Riccó com a pena de dois anos de suspensão, devido ao positivo para EPO de terceira geração (Cera). O ciclista foi expulso da equipe Saunier Duval depois de ser flagrado em exames antidoping na Volta da França e ter confessado o uso de doping.


Leia mais sobre: Ricardo Riccó ciclismo

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias