iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

20/10 - 19:36

Falcão não se arrepende de provocar espanhóis: "Só respondi"

"Quando estava no banco de reservas fazendo gelo no joelho, eles passavam por mim e diziam que estava pipocando"

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - No dia posterior à final do Mundial de futsal, o ala Falcão continua com a consciência tranqüila pelas provocações feitas aos jogadores espanhóis após a conquista brasileira nos pênaltis. O melhor do mundo alega que foi incitado pelos adversários durante a partida.

"Não provocaria se não tivesse escutado nada, seria com respeito. Quando estava no banco de reservas fazendo gelo no joelho, eles passavam por mim e diziam que estava pipocando. Então comemorei mesmo. Tinha prometido que não entraria na pilha deles, mas não me arrependo. A Espanha estava engasgada pela perda dos dois Mundiais anteriores", alegou o camisa 12.

Falcão foi acusado até de dar um tapa no espanhol Álvaro. O jogador continua minimizando o ocorrido, mesmo tomando conhecimento que alguns jornalistas viram a agressão. "Foi apenas uma troca de empurrões. Não chegou a ter soco ou tapas", garantiu. "Comigo, as coisas ganham mais repercussão", completou. 

Além disso, os espanhóis fizeram outra provocação: nas entrevistas, alegaram que Falcão é um jogador desconhecido na Europa já que jogou durante toda a sua carreira em times brasileiros. O craque brasileiro ironizou os rivais.

"Isso é inveja. Quando fui jogar um Mundial de Clubes na Espanha, todos me deram atenção. Tive informações de companheiros que os espanhóis ficaram loucos da vida. É um sentimento de inveja. Eles devem ter ficado muito incomodados", comentou o vice-artilheiro do Mundial, atrás apenas de Pula, brasileiro naturalizado russo.


Leia mais sobre: Falcão futsal

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias