iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

12/10 - 13:12

Pivô de confusão no Mundial de futsal diz que Brasil não respeitou Itália
"Não desrespeitamos o Brasil e espero mais respeito dos seus jogadores", disse Marcio Forte

EFE

RIO DE JANEIRO - O ala brasileiro naturalizado italiano Marcio Forte, pivô da confusão na saída para o intervalo na partida entre Brasil e Itália pelo Mundial de futsal, no Maracanãzinho, disse que os brasileiros desrespeitaram sua equipe.

O incidente envolveu o auxiliar técnico da seleção brasileira, Pipoca, e o pivô Betão. "O Pipoca ficou me xingando, disse que nossa equipe estava se jogando muito. Não desrespeitamos o Brasil e espero mais respeito dos seus jogadores", disse.

O jogador afirmou que se aproximou do tumulto para separar a briga. No entanto, acabou levando um soco de Betão. Os dois atletas foram expulsos no intervalo. Preocupado com o julgamento da Fifa, Marcio disse que torce por uma punição mais branda.

"Não tenho nada contra o Betão, espero que a Fifa dê apenas um jogo de suspensão nos dois casos", disse.

Os brasileiros venceram a partida por 3 a 0.


Leia mais sobre: Copa do Mundo de futsal

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias