iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

12/10 - 14:37

Briga tira Betão do jogo contra Ucrânia
“Acho que a característica do Betão, que é aquele pivô que jogo de costas, nós não temos no elenco", disse Lenísio

Gazeta Esportiva

RIO DE JANEIRO - Dada a rivalidade entre os dois países, a partida deste sábado entre Brasil e Itália era uma das mais esperadas da Copa do Mundo de futsal de 2008. No entanto, se o placar de 3 a 0 não decepcionou a torcida brasileira, a confusão entre as equipes no intervalo acabou frustrando quem compareceu ao jogo no Ginásio do Maracanãzinho.

O problema aconteceu no intervalo, após uma suposta série de provocações do auxiliar-técnico Pipoca, do Brasil, para os italianos. O ala Marcio Forte não gostou e foi tirar satisfações com os adversários fora da quadra – acabou expulso, assim como o pivô Betão, que também se envolveu na briga.

A discussão, porém, pegou a seleção brasileira de surpresa. “Ontem conversei com eles no hotel e parecia estar tudo bem”, afirmou o fixo Schumacher, que também teria provocado os rivais, e que preferiu tirar o foco da briga. “A Itália esta de parabéns, mas o Brasil foi superior”, complementou, segundo o canal de TV por assinatura SporTV

Entre os jogadores, a expulsão de Betão é uma das principais preocupações para a seqüência da competição. O jogador não entra em quadra nesta terça-feira, quando a seleção brasileira enfrenta a Ucrânia pela última rodada do Grupo F. Por enquanto, seu substituto não está definido.

“Acho que a característica do Betão, que é aquele pivô que jogo de costas, nós não temos no elenco. Mas estou disposto a ajudar a equipe”, explicou o também pivô Lenísio, candidato ao posto.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias