iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

02/10 - 12:07

Em ritmo de treino, Brasil faz 21 a 0 nas Ilhas Salomão

A goleada desta quinta-feira foi a segunda maior já registrada em todas as edições do Mundial de futsal

Gazeta Esportiva

BRASÍLIA - Depois de golear o Japão por 12 a 1 na estréia da Copa do Mundo de futsal, a seleção brasileira fez uma nova vítima nesta quinta-feira. Desta vez, a goleada foi sobre a frágil equipe das Ilhas Salomão, derrotada por 21 a 0 em partida com cara de treino válida pela segunda rodada do Grupo A da competição.

Como esperado, os resultados das duas primeiras partidas colocaram o Brasil na liderança da chave, com seis pontos e o incrível saldo positivo de 32. Os salomônicos, por sua vez, haviam sido derrotados por 10 a 2 por Cuba na primeira rodada, e caíram para a lanterna da chave sem pontuar.

A goleada desta quinta-feira foi a segunda maior já registrada em todas as edições do Mundial da categoria, superando os 18 a 0 que os brasileiros aplicaram em Cuba na Copa de 96. Entretanto, Falcão e companhia ainda passaram bem longe da maior goleada da história da competição – protagonizada pelo próprio Brasil no Mundial de 2000, quando a Guatemala foi vencida por 29 a 2.

Apesar da ampla vantagem técnica, o Brasil demorou um pouco para abrir o placar – o que só conseguiu aos cinco minutos, em chute de Lenísio que passou por entre as pernas do goleiro Kogua. Dois minutos depois, porém, Wilde ampliou após jogada bem trabalhada no ataque. Mais tarde, aos oito minutos, Vinícius recebeu o passe na esquerda e tocou colocado no contra-pé de Kogua, fazendo 3 a 0.

No entanto, ainda faltava o primeiro gol do astro Falcão, que só veio a marcar aos dez. Após cobrança de falta ensaiada, o camisa 12 recebeu o passe na direita do ataque e arriscou – a bola bateu na barreira, mas voltou para que o ala aproveitasse o rebote e marcasse o quarto da seleção comandada por PC de Oliveira.

Os gols sofridos fizeram com que os salomônicos se perdessem no final do primeiro tempo, deixando de arriscar os contra-ataques e apenas optando pela defesa para tentar evitar um placar muito elástico. A estratégia, porém, acabou igualmente vencida aos 14 minutos, em chute de Betão que Kogua defendeu – Schumacher ficou com a sobra e fez o quinto gol.

Wilde chuta para vencer o goleiro de Ilhas Salomão

Mais tranqüila em quadra, a seleção brasileira conseguiu balanças a rede três vezes até o final do primeiro tempo. Primeiro com o próprio Schumacher, que escorou passe na direita aos 16 minutos. Depois com Falcão, que limpou o marcador aos 19 e arriscou um forte chute da entrada da área. Por fim, Lenísio dividiu com a marcação e passou para Wilder, que aproveitou e apenas tocou para fazer 8 a 0.

Com a vitória mais do que garantida, o Brasil voltou do intervalo disposto a diminuir o ritmo, trocando a quantidade pela qualidade. No entanto, logo aos dois minutos, Falcão uniu as duas coisas e fez 9 a 0 com categoria, driblando a marcação, deixando Kogua e tocando por cima do goleiro. Dois minutos mais tarde, Lenísio completa a dezena em um lance de sorte, chutando de longe e mandando a bola na trave – o rebote, porém, pegou nas costas do goleiro Kogua e entrou no gol.

Após o 1 a 0, quem voltou a brilhar foi Betão, que encaixou três gols: aos seis, com uma bomba de canhota, aos nove, batendo da área e de fora dela, marcando em ambos os chutes. Aos dez minutos, Schumacher também colocou de fora da área e contou com um sutil desvio na defesa para que a bola entrasse, marcando o 14º gol brasileiro. As Ilhas Salomão quase tiraram o zero do placar aos 11 minutos, em contra-ataque de Wetney, mas o goleiro Tiago apareceu bem e evitou o gol.

O Brasil aproveitou para esperar os adversários saírem da defesa para aproveitarem os espaços – melhor para Falcão, que fez 15 a 0 em jogada individual aos 14 minutos. Porém, os donos da casa quase pagaram o preço no lance seguinte, em lance de Wetney pela direita que Tiago se desdobrou para evitar que entrasse no gol. Mesmo assim, os brasileiros chegaram aos 16 a 0 com Gabriel, que apenas escorou a jogada criada pela esquerda e tocou para o gol vazio.

Não acabou por aí. Faltando cinco minutos para o final, Falcão passou para que Carlinhos soltasse a bomba da direita e fizesse o 17º. O 18º veio menos de um minuto depois, após passe rasteiro na área que Lenísio aproveitou e tocou colocado. Aos 17, o próprio Lenísio bate da entrada da área e faz 19 a 0, e só não fez o 20º com um toque de cobertura vinda da defesa por que a bola triscou a trave.

As Ilhas Salomão não desistiram, e quase fizeram o primeiro aos 18 minutos com o ala/pivô Wetney, que tocou na saída de Tiago – o goleiro defendeu, deixou a bola passar e se recuperou quando a bola se aproximava da linha do gol. No entanto, Falcão ainda teve tempo de marcar duas vezes nos segundos finais: primeiro, batendo de primeira após cobrança de escanteio. Depois, cobrando falta a 0s06 segundos do fim.

Agora, embalado e favorito, o Brasil volta a entrar em quadra no sábado, enfrentando a Rússia na ginásio Nilson Nelson, em Brasília, a partir das 10h30 (horário local). As Ilhas Salomão, por sua vez, tentam reagir duas horas mais tarde, quando enfrentam os japoneses.


Leia mais sobre: Copa do Mundo de Futsal Falcão

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Reuters

falcão futsal

21 a 0
O ala Falcão, melhor do mundo, começou no banco de reservas, entrou e brilhou no jogo

Topo
Contador de notícias