iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

02/10 - 15:17

Governo mantém apoio ao Rio na disputa pelos Jogos de 2016
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva já expressara a intenção do Governo de reforçar o apoio à candidatura carioca

EFE

BRASÍLIA - O Governo brasileiro voltou a demonstrar todo seu apoio político e financeiro à aspiração do Rio de Janeiro de ser sede dos Jogos de 2016 nesta quinta-feira, a exatamente um ano do anúncio do Comitê Olímpico Internacional (COI).

Apesar de o Governo e o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) não terem preparado nenhum evento especial para celebrar o início do último ano de campanha, o ministro de Turismo, Luiz Barretto, falou hoje sobre os investimentos a serem feitos no Rio e nas cidades-sede da Copa do Mundo de 2014.

Ontem, em encontro com alguns dos atletas que disputaram os Jogos Olímpicos de Pequim, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva já expressara a intenção do Governo de reforçar o apoio à candidatura carioca.

"O Brasil merece organizar os Jogos Olímpicos. Primeiro teremos que ir a Londres, melhorar nossa participação e depois, se Deus quiser, fazer o melhor no Rio de Janeiro", afirmou o governante.

O Rio fracassou na campanha para ser sede dos Jogos Olímpicos em 2004, 2008 e 2012, mas desta vez acabou incluída entre as quatro cidades finalistas - as outras são Tóquio, Chicago e Madri. O anúncio será feito pelo COI no dia 2 de outubro de 2009 em Copenhague, capital dinamarquesa.

Entre os trunfos do Brasil estão o forte apoio de Lula, o bom momento da economia brasileira mesmo em meio ao complicado panorama mundial e, sem dúvida, o sucesso na organização dos Jogos Pan-Americanos de 2007.

Em entrevista a uma rede de rádios públicas, o ministro do Turismo disse hoje que o Governo confia na escolha do Rio de Janeiro como sede. Para ele, a vitória não será só do Brasil, mas de toda a América do Sul (o continente nunca sediou os Jogos).

O ministro reconheceu que o Governo está estudando um conjunto de investimentos em transporte urbano nas cidades que serão sede do Mundial de 2014 - entre elas o Rio.

"Após ver como a China aproveitou positivamente os Jogos Olímpicos deste ano, consideramos que os de 2016 serão uma grande oportunidade para projetar a imagem do Brasil no exterior e como uma fonte de importantes negócios", disse.

Ao falar sobre os adversários do Rio de Janeiro na disputa, o ministro de Esportes, Orlando Silva, considerou Chicago o maior deles.

"Acho que os membros do COI não escolherão Madri por estar geograficamente muito perto de Londres", afirmou o ministro num ato público esta semana.

"O problema de Tóquio será o fuso horário, como ocorreu em Pequim. Muitos países disseram ter sido prejudicados por essa diferença", completou o ministro ao falar sobre a transmissão da competição pela televisão e a venda de direitos comerciais.

O ministro considera que a campanha do Rio de Janeiro pode comover aos membros do COI por sua importância social.

"Os Jogos Olímpicos em Chicago serão apenas mais um evento esportivo, para eles não mudará nada. Para o Rio, será muito mais. A competição no Brasil gerará grandes mudanças na infra-estrutura da cidade e nas áreas sociais, deixando um importante legado", disse.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias