iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

26/09 - 19:34

Bolt rebate Lewis: 'eu sei que estou limpo'
"Quando você corre os 100m é o que consegue. Quão rápido você seja, eles começam a falar isto", disse o velocista

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - Alvo de múltiplas insinuações de doping desde que faturou os títulos de todas as três provas que disputou nos Jogos Olímpicos de Pequim, sempre com recordes mundiais, o jamaicano Usain Bolt reagiu às acusações. Em entrevista à Reuters , nesta sexta-feira, o campeão olímpico dos 100m, 200m e 4x100m negou o consumo de qualquer substância proibida.

"Eu sei que estou limpo. Trabalho duro pelo que eu quero", disse o velocista. Na China, ele impressionou logo em sua primeira final, baixando o recorde do mundo em três centésimos de segundo ao estabelecer a marca de 9s69. Mais que o tempo, sua performance chamou a atenção pela facilidade com que foi conquistada.

Bolt fechou a prova diminuindo o ritmo nos metros finais e começando a comemoração mais cedo. Especialista nos 200m, ele já tinha chamado atenção ao bater o recorde mundial, que pertencia então a seu compatriota Asafa Powell, em maio.

Dono de nove medalhas de ouro olímpicas, o norte-americano Carl Lewis foi um dos que ficou intrigado com a evolução do atleta. Um dos títulos de Lewis foi conquistado após a descoberta do doping do jamaicano, naturalizado canadense, Ben Johnson, nos Jogos de Seoul-88. 'Ainda estou trabalhando o fato de ele baixar de 10 para 9s6 em um ano. Acho que existem algumas questões... países como a Jamaica não têm programas (de controles de doping) aleatórios. Então, eles podem passar meses sem ser testados', disse Lewis em entrevista à Sports Illustrated.

Bolt não acusou o golpe. 'Eu sei o que ele disse. Para mim, realmente não importa o que ele disse, muitos estão dizendo isto. Quando você corre os 100m é o que consegue. Quão rápido você seja, eles começam a falar isto. É como um padrão. Estou tentando mudar isto. É uma imagem negativa para o esporte. Carl Lewis pode dizer o que ele quiser. É apenas sua opinião'.

Para Bolt, só há uma explicação para sua evolução: trabalho duro. 'Os 200m também são velocidade, esta é a chave. A única coisa que eu tive de fazer foi acertar minha largada e eu acertei. É por isso que meus últimos 50m são tão bons porque eu tenho velocidade e resistência'.

Aos 22 anos, o velocista rebate os argumentos de poucos antidopings apresentado pelo norte-americano. 'Claro que somos testados no Caribe. Eles gostam de chegar na nossa casa de manhã cedo. Não é legal ser levantado às seis, sete horas quando você está aproveitando o sono. Mas eu sei que o que é e isto é justo. Somos testados sempre'.
A despeito do que os adversários e observadores têm dito, Bolt garante que estará na defesa de seus títulos em Londres-2012. 'Eu vou estar em Londres... e espero que não esteja frio', brincou. 'Estou ansiando por isto. Eu posso voltar a ser campeão. Vou ter 26 anos, tenho muito tempo em minhas mãos. Tudo o que eu preciso é manter o foco, treinar duro e estar pronto'.


Leia mais sobre: Usain Bolt

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias