iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

22/09 - 15:10

Ex-campeã olímpica afirma inocência em acusação de doping

Fani Halkia afirmou que não usou substâncias proibidas; técnico da atleta também é investigado

Gazeta Esportiva

ATENAS (Grécia) - A barreirista grega Fani Halkia tem até sexta-feira para preparar seu testemunho antes de enfrentar o procurador Costas Simitzoglou, responsável pelo inquérito que investiga o envolvimento de 15 atletas da Grécia na compra de substâncias ilícitas. Pela legislação grega, o doping não é apenas uma infração esportiva, mas também um crime.

Nesta segunda-feira, a campeã olímpica dos 400m com barreiras falou sobre o assunto e voltou a afirmar sua inocência. 'Isto é uma coisa certa. Sei melhor do que ninguém', disse a atleta de 29 anos.

Halkia teve resultado positivo para o uso de metiltrienolona em teste realizado dia 16 de agosto. Campeã olímpica nos Jogos de Atenas-2004, ela acabou excluída da equipe nacional que competiu nos Jogos de Pequim.

Além da barreirista, também são citados na investigação seu técnico George Panagiotopoulos e o velocista Tassos Gousis. A compra e utilização de esteróides é um crime na legislação grega, mas assim como ela os outros dois acusados também alegam inocência.

No mês passado, o Comitê Olímpico Internacional abriu um processo contra Panagiotopoulos, pedindo que fosse investigado na Grécia. Dos 15 atletas sob investigação, 11 integravam a equipe de levantamento de peso e foram acusados de uso ilegal de substância tóxica, infração de peso menor no código penal grego.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias