iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

17/09 - 14:36

Presidente do Comitê Olímpico Argentino deixa o cargo

Julio Cassanello sofreu várias denúncias de tortura, durante a ditadura militar na argentina , entre 1976 e 1983

Agência Estado

BUENOS AIRES (Argentina) - O presidente do Comitê Olímpico Argentino (COA), Julio Cassanello, renunciou ao cargo nesta quarta-feira após ser questionado por sua atuação durante a ditadura militar no país, entre os anos de 1976 e 1983. Cassanello, que havia assumido o COA em maio de 2005, foi prefeito da cidade de Quilmes, no sul da província de Buenos Aires, entre 1979 e 1982.

Durante seu governo, duas pessoas desapareceram na cidade, onde também funcionavam vários centros clandestinos de detenção e tortura.

Em uma carta enviada aos conselheiros do COA, Cassanello sustentou que "há muito tempo, interesses políticos e pessoais de distinta natureza têm montado uma impiedosa operação midiática contra mim. Tal operação, além de atentar contra meu bom nome e honra, resulta em uma violação da independência e plena autonomia institucional da nossa entidade", explicou.

A sucessora de Julio Cassanello no comando da entidade será a atual vice-presidente, Alicia de Morea.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias