iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

09/09 - 09:58

Brasil leva 5 ouros em ótimo dia de Paraolimpíada
Natação, atletismo, judô e bocha foram os esportes em que os brasileiros brilharam nesta terça-feira

Redação iG Esporte

PEQUIM (China) - A terça-feira paraolímpica do Brasil não poderia ter sido melhor em Pequim. Com favoritismos sendo confirmados e até com agradáveis surpresas, o país teve um dia dourado: foram 5 ouros em apenas um dia. Além disso, vieram 3 pratas e 2 bronzes.

Para efeito de comparação, apenas estas conquistas já superam a campanha brasileira na Olimpíada de Pequim realizada em agosto. No quadro de medalhas, o Brasil já está em quinto lugar, atrás apenas da China, dos Estados Unidos, da Austrália e da Ucrânia, que se iguala no número de ouros, mas possui mais pratas. (Veja o quadro)

Seja em esportes clássicos, como natação e atletismo, ou em práticas exóticas, como a bocha, o hino nacional brasileiro tocou enquanto os atletas estavam no topo do pódio. Veja um resumo dos principais acontecimentos:

Judô
Antonio Tenório conseguiu uma marca impressionante: O tetracampeonato olímpico. Na categoria até 100Kg, o atleta trouxe o primeiro ouro do judô nesta Paraolimpíada. O brasileiro superou Karim Sardarov, do Azerbaidjão, na final.

Além de Tenório, uma brasileira brilhou nesta terça-feira no judô em Pequim. A mineira Deanne Silva conquistou a medalha de prata na categoria acima de 70 quilos após perder na final para a chinesa Yanping Yuan.

Natação
Daniel Dias, que já havia conquistado duas medalhas de ouro, venceu mais uma vez na categoria S5, nos 200 metros livre. Com 2min32s32, ele estabeleceu uma nova marca mundial para a distância. A notícia triste ficou apenas por conta de Clodoaldo Silva, que ficou na quinta posição da prova.

Outro nadador do País que já tem mais uma medalha dourada em Pequim é André Brasil. Nesta terça-feira, ele venceu os 100 metros livre na classe S10. Ele chegou também a uma nova marca mundial, de 51s38 e completou uma dobradinha com Phelipe Andrews Rodrigues, de apenas 18 anos.

Atletismo
O destaque foi Lucas Prado. O velocista estabeleceu o novo recorde mundial da classe T11 - para deficientes visuais - com 11s03.

Entre as mulheres, na mesma prova e também na classe T11, o Brasil subiu ao pódio com duas representantes: Terezinha Guilhermina ficou em segundo lugar e Adria dos Santos foi a terceira colocada, em prova vencida pela chinesa Chunmiao Wu.

Bocha
Foi a primeira participação brasileira neste esporte em uma Paraolimpíada. Mesmo assim, o país conseguiu dominar o pódio da categoria BC4.

O brasileiro Dirceu Pinto conquistou o título paraolímpico da bocha ao superar Leung Yuk Wing, de Hong Kong, por 3 a 1, na final.
 
O terceiro lugar no pódio também foi ocupado por um atleta do País. Eliseu Santos superou o espanhol José Maria Dueso, por 7 a 1, na decisão do bronze, fechando com duas medalhas a participação brasileira no esporte.

*Com informações da Agência Estado


Leia mais sobre: Paraolimpíada Medalha de ouro

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


AFP

bocha dirceu pinto

Surpresa do dia
Dirceu Pinto, da bocha paraolímpica, conseguiu trazer uma medalha inédita para o Brasil

Topo
Contador de notícias