iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

28/08 - 10:58

Mais rápido do mundo, Bolt "antecipa" 20 anos de ciência

Jamaicano quebrou em Pequim recorde esperado apenas para 2030 e virou alvo de estudos científicos

Gazeta Esportiva

NOVA YORQUE (EUA) - O jamaicano Usain Bolt surpreendeu ao mundo inteiro na prova dos 100m rasos dos Jogos Olímpicos de Pequim ao faturar a medalha de ouro com o novo recorde mundial, de 9s69. Mas, em especial, os cientistas foram pegos de surpresa com o raio caribenho, que conseguiu antecipar uma marca prevista apenas para 2030.

Em artigo publicado nesta semana na revista norte-americana de tecnologia Wired, Bolt ainda fez com que os cientistas revissem algo que parecia uma certeza absoluta: a velocidade máxima de um homem, que não deveria passar de 38,13 km/h – colocando, assim, o tempo de 9s44 como o último recorde mundial que poderia ser batido nos 100m rasos.

“Com esse novo tempo, mais rápido do que se esperava, o tempo mínimo da prova pode baixar um pouco”, admitiu o matemático Reza Noubary, da Universidade Bloomsburg da Pensilvânia, que ao lado de outros especialistas estabeleceu um gráfico que previa, para o ano de 2008, um recorde máximo de 9s75.

Mas essa teoria já estava prestes a cair, e só não foi derrubada por causa da ‘teimosia’ do físico Jonas Mureik,a da Universidade Loyola Marymount, de Los Angeles. Ele havia desenvolvido um novo modelo que colocava o recorde de Bolt possível em 2009.

“Criei esse novo gráfico quando o recorde mundial era de 9s79. Os meus estudos mostravam que por volta de 2009 o tempo dos 100m rasos estaria na casa dos 9s6”, comentou Mureika. “Achei que era loucura, que uma marca não baixaria tanto assim. Mas agora, todos os dias em que penso nisso, tenho vontade de me bater. É a minha penitência por duvidar dos números”, completou.

Mesmo assim, Bolt poderia ter ido ainda mais rápido e ficado mais próximo do recorde mundial então máximo de 9s44. Por conta de sua ‘brincadeira’ antes de cruzar a linha de chegada, quando virou para as câmeras e começou a dar socos no próprio peito, acabou desacelerando e perdendo um pouco de velocidade. O que, para o técnico Glen Mills, custou quase 0s2 ao jamaicano, que poderia ter cravado até 9s52.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias