iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

10/06 - 13:29

Menos pressionada, Daiane vai repetir 'Brasileirinho' em Pequim
Daiane dos Santos está se sentindo mais leve. Quatro anos depois de falhar na final olímpica do solo, a atleta comemora o fato de ter deixado de ser a protagonista da ginástica para os Jogos de Pequim e decidiu repetir a música 'Brasileirinho' para a última Olimpíada de sua carreira.

Reuters

Com 'Brasileirinho', Daiane ganhou várias etapas da Copa do Mundo e chegou ao topo do ranking no aparelho.

'A gente tentou achar outra música, mas muita gente pediu para usarmos de novo o 'Brasileirinho', que foi uma música que marcou bastante', disse a atleta gaúcha à Reuters após o treino de segunda-feira em Curitiba.

Ao som da música de Waldir Azevedo, Daiane também sofreu uma decepção. Nos Jogos de Atenas, ela cometeu erros e terminou a prova em que era considerada favorita em quinto lugar. Na ocasião, ela era o centro das atenções da delegação brasileira.

Agora, divide os holofotes com Jade Barbosa e Diego Hypólito.

'É bom porque você fica um pouco mais tranquila. As pessoas têm bastante expectativa, e isso é uma coisa que você aprende a lidar aos poucos', afirmou a atleta. 'A expectativa desta vez é diferente, tem mais meninas, tem o Diego.'

A série que a ginasta vai apresentar em Pequim é, segundo ela, mais 'forte' que a utilizada em Atenas. 'É uma série diferente. Mexemos em alguns pontos da coreografia e na parte acrobática também', contou Daiane, que não vê problema na repetição da música.

A campeã mundial do solo em 2003 acredita que o Brasil tem boas chances de medalha em Pequim, especialmente com Diego no solo, Jade no salto e no solo e ela própria no solo. Para Daiane, a equipe vem evoluindo a cada ano e prova disso foi o quinto lugar da seleção feminina no Mundial do ano passado.

Daiane evita apontar favoritas para a final do solo. Chegou a citar a chinesa Fei Cheng, mas comentou que pode haver surpresas.

'As chinesas e as americanas estarão muito bem, mas têm aquelas que escondem o jogo também, todas as meninas que estarão lá são rivais', disse.

'A pontuação mudou. Eles (árbitros) estão mais exigentes, as quedas valem mais, então pouquíssimas pessoas arriscam a fazer coisas muito difíceis, a coisa ficou muito igual', acrescentou.

Aos 25 anos, Daiane disse que está se sentindo bem fisicamente, após passar sete meses se recuperando de uma lesão no tornozelo, sofrida durante os Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro, em 2007. Ela teve que passar por cirurgia.

ATÉ QUANDO?

Após a Olimpíada de Pequim, Daiane dos Santos treinará no Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo, visando principalmente a final da Copa do Mundo, no mês de dezembro.

Depois, deve diminuir o ritmo de treinamento e disse que continuará na ginástica 'até quando quiser', sem estipular um prazo. A Olimpíada de Londres-2012, porém, está fora de cogitação.

Daiane treina ginástica desde criança e disse que teve que mudar toda a sua vida pelo esporte. A começar pela cidade: faz quase sete anos que ela deixou a família em Porto Alegre para trabalhar com a equipe permanente em Curitiba.

'Minha vida gira em torno da ginástica. Um esportista de alto rendimento é assim. Você troca tudo pelo esporte, que é seu trabalho', comentou.

Por causa da ginástica, ela ainda não terminou a faculdade de educação física -falta um semestre-- e não tem tempo para namorar.

'Namorei durante muito tempo, mas é complicado. Meu namorado era de Porto Alegre, trabalhava e estudava e eu também, então eu queria estar lá e ele aqui e não dava', afirmou.

'Neste momento estou priorizando a ginástica. Para ir a uma Olimpíada, você tem que ter força, vontade ... Tem um monte de regras que você tem que seguir para estar no grupo', completou ela, que mora em Curitiba com as irmãs e pouco vê os pais na capital gaúcha.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias