iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

10/06 - 17:24

Estreante, Marilson prevê maratona da sorte nos Jogos
Marilson Gomes dos Santos vê sua disputa nos Jogos de Pequim, cidade onde a poluição e a humidade acabam com a resistência dos atletas muito antes do esperado, como a 'maratona do vencedor sortudo'.

Reuters

'Posso ser medalha de ouro ou chegar em vigésimo... está completamente aberto', disse.

Vencedor da Maratona de Nova York e 2006 e uma das esperanças de medalha do atletismo brasileiro, Marilson diz que a disputa olímpica será diferente das que participou até hoje, porque haverá menos africanos e porque ninguém saberá com antecedência a forma de reagir diante das condições climáticas adversas para provas de resistência.

'Quem procurar saber antes da hora só vai se prejudicar.

Não dá para acostumar com poluição e ficar com a saúde boa para a prova', disse, em tom de brincadeira. 'O que eu sei é que reajo melhor nas provas com mais calor. Se estiver quente durante a prova, isso vai ser vantagem para mim. A prova está aberta, como nunca deve ter estado antes.'

Outro fator que ajuda a deixar a maratona sem grandes favoritos é a ausência do etíope Haile Gebreselassie, atual detentor do recorde da prova. Ele desistiu da competição por conta da poluição em Pequim.

Para o treinador de Marilson, Adauto Domingues, o seu corredor não teria a menor chance de vencer se a prova fosse rápida, com duração de aproximadamente 2h05. Esse não deve ser o caso da prova chinesa, disse ele, cujo vencedor deverá cravar tempo de cerca de 2h10 minutos.

Antes de viajar para Pequim, o atleta deve se preparar na altitude, na Colômbia ou na Espanha.

'Correr com a poluição de lá é parecido com correr em terreno mais alto. Esse é o objetivo da preparação, me aclimatar dessa maneira', afirmou.

10 MIL METROS: SEM CHANCE

O maratonista também tem índice olímpico para a prova dos 10 mil metros, obtido recentemente na Bélgica. Mas ele nem cogita se preparar para a disputa.

'Foi uma boa marca, mas é só isso. Eu acho que não tenho a menor chance nessa prova. A prioridade é a maratona. É esse o sonho que eu quero realizar', afirmou o atleta sobre a modalidade, cuja entrega das medalhas é feita apenas na Cerimônia de Encerramento.

O treinador diz que Marilson só correrá os 10 mil metros se estiver em plena forma física. 'Seria bom para antecipar um pouco aquela ansiedade de ver o estádio, de ver competição. Mas ele só vai se estiver sem dor nenhuma. Se a dor for na sobrancelha, vai ficar de fora', disse.

Como preparatório, Marilson disputará uma meia-maratona ainda a ser definida. E ficará na torcida pela mulher, Juliana Gomes, que ainda não obteve índice olímpico nem para os 800 nem para os 1.500 metros.

'Na outra Olimpíada eu fiquei de fora e ela me apoiou muito. Agora não vai precisar, porque eu e ela vamos estar juntos lá, tenho certeza', disse o marido maratonista.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias