Publicidade
Publicidade - Super banner
Lutas
enhanced by Google
 

Cigano avisa: 'Anderson chocará o mundo mais uma vez'

Lutador lembra infância ao visitar Cantagalo e primeiro 'tiro de meta': 'Foi tão bom. Pensei: 'É isso que quero fazer da vida''

Rodrigo Farah e Vicente Seda, no Rio de Janeiro |

Júnior dos Santos não gostava de ser chamado de Cigano quando começou a aprender jiu-jitsu, gordinho de cabelo grande e amarrado, aos 14 anos de idade. Também não tinha tempo para treinar, estudando à noite e trabalhando durante o dia. Nas vielas do Cantagalo, comunidade no meio uma das zonas mais nobres do Rio, ele lembrou os tempos de pedreiro e vendedor de picolé, antes de conquistar sete vitórias seguidas no maior evento de MMA do mundo. Fora do UFC Rio, ele estará na torcida por Rodrigo Nogueira, ou Minotauro, e Anderson Silva, que, na visão de Cigano, "chocará o mundo mais uma vez".

Vicente Seda
Cigano e Minotauro com as crianças da comunidade do Cantagalo, na zona sul do Rio
Cigano agora mira o cinturão dos pesos pesados do Ultimate Fighting Championship (UFC), nas mãos de Cain Velásquez. A luta acontecerá em 19 de novembro. E ele acredita que será um dos maiores combates da história da categoria. "O Velásquez é um grande campeão, mas no dia 19 de novembro o cinturão será brasileiro. É um peso pesado completo, que assusta pelo condicionamento físico, mas confio nas minhas mãos, na minha estratégia e acho que será uma das melhores lutas da história dos pesos pesados", disse Cigano, antes de falar a respeito do seu companheiro de equipe (Black House) Anderson Silva, que terá pela frente o japonês Yushin Okami.

"Quanto ao Anderson, acho que ele vai chocar o mundo mais uma vez. Está bolando alguma coisa. Ele é um cara tranquilo, na dele, que sabe usar tudo o que aprendeu, é muito inteligente. Às vezes aparece com uma coisa muito ninja, mas eficiente, que ninguém sabe de onde tirou. Ele estuda muito o jeito de lutar. Eu estava esses dias com o Pezão no treino dele e depois que acabou ele nos chamou para mostrar umas posições novas. Para você ver, era para ele estar cansado e ainda nos chamou para ensinar", contou.

Vicente Seda
Cigano e Minotauro com as crianças da comunidade do Cantagalo, na zona sul do Rio
O peso pesado falou também da época em que começou na luta, assistindo a combates de Minotauro na televisão. Pedreiro, vendedor de picolé, e pouco tempo para o jiu-jitsu, até que começou a levar o esporte a sério com o professor Iuri Carlson. Foi rapidamente para a aula de MMA do mesmo professor e, em um ano e meio, o mestre avaliou que o pupilo estava pronto para o primeiro teste.

"Eu nunca tinha imaginado que seria lutador. O cara já tinha sete vitórias, eu estava na primeira luta. Mas venci por nocaute, um tiro de meta. Foi tão bom, tão incrível, que pensei: 'É isso que eu quero da vida'. Aí, depois disso, o professor sabia que eu era fã do Minotauro e me levou para conhecer, ajudar num treino. Foi momento de fã e ídolo mesmo e por mais incrível que pareça, ele lembra até hoje, me falou outro dia. É como se fosse meu irmão mais velho", disse.

Leia tudo sobre: UFC RioMMACiganoMinotauro

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG