Tamanho do texto

Ultimate retorna à Terra do Sol Nascente no próximo sábado com seu primeiro evento no país desde 2000

Pride é até hoje o torneio que mais lotou um evento de MMA: mais de 90 mil pessoas
Getty Images
Pride é até hoje o torneio que mais lotou um evento de MMA: mais de 90 mil pessoas
O UFC finalmente voltará ao berço das artes marciais. No dia 26, a entidade promoverá um show no Japão pela primeira vez desde 2000 com uma missão bem definida. O Ultimate tentará conquistar o mercado nipônico desvinculando a imagem do extinto Pride, maior torneio de lutas da história do MMA oriental.

Veja também: Henderson desmente Dana White e nega convite para enfrentar Lyoto

“As pessoas continuam me perguntando se vai tocar a música do Pride ou coisas assim. Não, isso não é o Pride. É o UFC. O UFC está indo para o Japão e os japoneses vão assistir à mesma coisa que eles veem na televisão se forem fãs”, ressaltou o presidente Dana White ao site MMA Junkie.

A preocupação do chefão do Ultimate tem sentido. Sediado no Japão, o Pride foi o principal rival do UFC durante anos. Até que os donos da empresa americana se cansaram da concorrência e compraram o torneio oriental em 2007.

UFC e cachorros. Confira as melhores fotos dos lutadores com seus cães

Mesmo assim, o Pride deixou sua marca na história do MMA. Além de contar com boa parte dos grandes lutadores da década passada, como Fedor Emelianenko e Wanderlei Silva, o evento tinha a capacidade de reunir nada menos do que 90 mil pessoas nos estádios do país - algo que nunca foi repetido pelo UFC.

Confira ainda: Ring Girl pode ser demitida do UFC por passado com filmes pornô

“Se eu acho que será como um evento do Pride com cem mil pessoas aparecendo para assistir às lutas? Não, não acredito nisso. Mas acredito que há uma grande base de fãs do UFC por lá”, completou Dana White.

Veja também: Musas lutam pelo cinturão do Strikeforce com trailer sensual. Assista

O UFC 144 será sediado na Arena de Saitama, com capacidade para até 37 mil espectadores. O evento não contará com brasileiros no card, mas terá a disputa do cinturão dos leves entre Frankie Edgar e Ben Henderson. A curiosidade fica por conta do horário local das lutas: meio-dia (00h do horário de Brasília) para atender à demanda do pay-per-view norte-americano.

“Vamos tentar levantar o mercado japonês novamente aos poucos para ver o que acontece. Eles não tem luta-livre e eles não vão ver caras de 200 kg lutando contra outros de 70. Nada disso vai acontecer. Mas teremos nossos próprios fãs por lá”, completou Dana White lembrando das lutas sem categoria de peso que eram muito populares no Japão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.