Publicidade
Publicidade - Super banner
Lutas
enhanced by Google
 

Thiago Silva é acusado de fraudar antidoping

De acordo com a Comissão Atlética do Estado de Nevada, urina colhida pelo brasileiro após o UFC 125, em janeiro, não é humana

Eduardo Oliveira, iG São Paulo |

Divulgação
Thiago Silva é acusado de fraudar exame antidoping no UFC 125
O faixa-preta Thiago Silva iniciou o ano de 2011 dando show, quando no UFC 125, em janeiro, dominou o norte-americano Brandon Vera e venceu na decisão unânime dos juízes. Com o triunfo, o lutador foi escalado para enfrentar o ex-campeão Quinton “Rampage” Jackson no UFC 130, dia 28 de maio, mas o Ultimate foi obrigado a cancelar o combate, pois a Comissão Atlética do Estado de Nevada suspendeu preventivamente o brasileiro por uma alteração em seu exame antidoping.

Na noite desta terça-feira (29), a situação de Thiago se agravou ainda mais, pois os responsáveis pela coleta do antidoping divulgaram que os exames do lutador foram fraudados.

Segundo o diretor-executivo da Comissão, Keith Kizer, as amostras de urina colhidas no antidoping do brasileiro não são compatíveis com a de seres humanos. Caso a acusação se confirme, Thiago poderá pegar até dois anos de suspensão e sua vitória sobre Vera alterada para No Contest (luta sem resultado). A decisão sobre o futuro do atleta será tomada no dia 7 de abril pelos comissários que analisam o caso.

Esta é a segunda vez em que existe uma tentativa de fraude no exame antidoping realizado lutadores de MMA. No primeiro caso, em 2006, o norte-americano Kevin Randleman forneceu uma amostra de urina falsa no Pride 32, quando ele foi derrotado pelo brasileiro Mauricio Shogun. No julgamento, Randleman confessou a infração e disse que tentou esconder o uso de analgésicos proibidos, que ele alegou tomar para se curar de uma infecção pulmonar. Na ocasião, o norte-americano foi suspenso por oito meses, mas não foi multado.

Leia tudo sobre: mmaufcthiago silvadoping

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG