Publicidade
Publicidade - Super banner
Lutas
enhanced by Google
 

Pai dos irmãos Klitschko morre de câncer provocado por Chernobyl

Wladimir Klitschko era coronel e ajudou na limpeza dos reatores nucleares após o acidente na Ucrânia em 1986

iG São Paulo |

Reprodução
Pai dos irmãos Klitschko fala em documentário
O pai dos irmãos boxeadores Wladimir e Vitali Klitschko morreu na última quarta-feira vítima de câncer, segundo comunicado oficial divulgado nesta tarde. O ex-militar de 64 anos foi exposto à radiação no acidente nuclear de Chernobyl , em 1986, e desde então lutava contra a doença.

Wladimir Rodionowitsch Klitschko foi coronel e trabalhava próximo à cidade ucraniana na época do desastre. Ele foi chamado às pressas para auxiliar na limpeza do reator nuclear após o acidente.

“Quando a primeira mensagem chegou, a única coisa que nos informaram é que havia acontecido algo ruim. Era o líder da unidade da Força Aérea que foi mandada ao local imediatamente”, afirmou o ex-comandante em entrevista ao documentário “Klitschko”, que narra a história dos filhos.

“Desde o começo, o governo tentou encobrir a verdade para amenizar a situação. Nos passaram que não era nada sério. Alguns puderam fugir, mas se você fosse um soldado, tinha que cumprir suas obrigações”, completou Wladimir.

O pai dos campeões mundiais dos pesados já estava internado em um hospital em Hamburgo, na Alemanha, há algumas semanas. Ele conseguiu assistir à vitória de seu filho Wladimir sobre o britânico David Haye por pontos pela televisão. Com o triunfo, Klitschko unificou quatro cinturões mundiais.

“Os dois irmãos ficaram desolados ao escutar a notícia do falecimento de seu pai. Estava claro que ele não tinha muito tempo para viver”, afirmou o empresário dos atletas, Bernd Boente.

O acidente de Chernobyl aconteceu no dia 26 de abril de 1986 e é considerado o pior desastre nuclear da história. A radiação liberada pelos reatores foi 400 vezes maior do que a bomba lançada sobre Hiroshima e atingiu boa parte da União Soviética com uma nuvem de radioatividade que chegou até o Reino Unido.

Leia tudo sobre: Klitschkochernobyl

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG