Campeão do Strikeforce disse que ameaçaram cortá-lo do GP dos pesados se ele não enfrentasr o brasileiro Pezão em setembro

Strikeforce/Divulgação
Alistair Overeem só quer lutar em outubro
A relação entre os atletas do Strikeforce e os donos do UFC, que recentemente compraram a franquia rival , ainda parece bastante confusa. Nesta segunda-feira, o campeão dos pesados e principal nome do Strikeforce, Alistair Overeem, disse que foi ameaçado pelos novos chefes por ter se recusado a aceitar a data de seu próximo confronto.

“Não sei o que vai acontecer. Recebi algumas ameaças de que eu seria cortado do torneio se não lutasse [no dia 10 de setembro]. Não sei se eles vão realmente fazer isso. Pessoalmente, não gosto de receber ameaças”, afirmou o holandês em entrevista ao site MMA Fighting.

De acordo com Overeem, os representantes da Zuffa (empresa que controla o UFC e o Strikeforce) queriam que ele enfrentasse o brasileiro Antônio Pezão Silva em menos de dois meses.

Porém, o atleta ainda se recupera de uma lesão no pé causada em sua vitória sobre Fabrício Werdum e só teria condições de se apresentar em outubro. O combate vale uma vaga na final do Grand Prix dos pesados organizado pela franquia.

“Isso não vai acontecer. Não concordei com a data e nem vou concordar”, completou o campeão. “Quero fazer meu dever de casa e ter certeza de que tudo estará perfeito para lutar. Foi com esta fórmula que tive meus resultados nos últimos quatro anos”, concluiu Overeem, que está invicto há 11 combates.

O atleta ainda aproveitou para admitir o interesse em se aventurar no boxe e chegou até mesmo a sonhar com uma luta contra um dos irmãos Wladimir e Vitali Klitschko., campeões mundiais “O boxe seria um desafio novo. Por que não?”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.