Publicidade
Publicidade - Super banner
Lutas
enhanced by Google
 

Modelo exige desculpas de Oscar de la Hoya por suposto abuso sexual

Angelica Marie Cecora, coelhinha da revista "Playboy", acusa ex-boxeador de tê-la tratado de maneira inadequada durante noite de sexo

EFE |

Uma coelhinha da revista "Playboy" que reivindica US$ 5 milhões de Oscar de la Hoya por um suposto estupro exigiu ao ex-boxeador um pedido de desculpas por ter abusado dela "de todas as formas possíveis", informou nesta quinta-feira o jornal "New York Post".

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros fãs de lutas

"Ele deve pedir perdão", declarou Angelica Marie Cecora, de 25 anos, na saída de uma audiência judicial realizada na quarta-feira em um tribunal de Nova York onde no final do ano passado deu entrada em um processo contra De La Hoya.

Angelica acusa o ex-lutador, de 38 anos, de havê-la tratado de maneira inadequada durante uma noite regada a sexo e drogas há dez meses em um hotel de Nova York na qual De La Hoya chegou a fotografar-se vestido de mulher.

Veja também: Campeão mundial de boxe Klitschko revela vontade de aprender MMA

"Parecia uma boa pessoa quando o conheci, mas depois perdeu o controle e abusou de mim de todas as formas possíveis", garantiu a modelo ao juiz Paul Wooten.

De acordo com o processo, os fatos ocorreram no dia 15 de março de 2011 no quarto de um hotel onde De La Hoya primeiro consumiu grande quantidade de drogas e depois pediu para fazer "sexo selvagem" com Angelica. A modelo aceitou o pedido, mas assegura que o ex-boxeador queria mais e exigiu que ela ligasse para uma amiga para continuar.

Leia ainda: Pacquiao aceita luta contra Mayweather com lucros divididos

Em seguida, Angelica tentou dormir, mas o ex-pugilista a despertou para ter relações sexuais novamente. A mulher sustenta no processo que, durante aquela noite, De La Hoya a agarrou forte e a intimidou durante o ato sexual.

Reuters
Coelhinha da "playboy", Angelica Marie Cecora acusa Oscar De La Hoya de abuso sexual

O advogado do ex-boxeador, Judd Burstein, pediu ao juiz que não aceite o processo e frisou que em toda sua carreira nunca tinha visto um caso tão "frívolo". Burstein expôs sua versão dos fatos: "De La Hoya ligou para a mulher. Saíram para jantar. Mantiveram relações. Depois mantiveram mais relações sexuais. Ela liga para outra mulher. Ele pede para fazer sexo de novo. Ela diz não e vai embora".

O advogado, que chamou Angelica de "prostituta", destacou que seu cliente decidiu um mês depois do incidente internar-se em uma clínica de desintoxicação para curar sua dependência das drogas. Oscar de la Hoya admitiu em agosto do ano passado a grave crise pessoal que atravessou pelo consumo de álcool e cocaína, e revelou que tentou suicidar-se.

O ex-pugilista, dez vezes campeão mundial de boxe e herói da comunidade hispânica nos Estados Unidos, também reconheceu que foi infiel à sua esposa, da qual atualmente está separado.

Leia tudo sobre: boxeoscar de la roya

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG